Conheça o ‘Live Commerce’, fenômeno que ganha cada vez mais destaque

A Semana do Consumidor foi criada em alusão ao Dia do Consumidor, tradicionalmente celebrado no dia 15 de março. Como resultado para ampliar ainda mais as ações deste dia, surgiu a ‘Live Commerce’. A data é famosa pelo amplo fluxo no mercado devido a descontos e promoções.

O ‘Live Commerce’ se tornou um dos formatos mais relevantes não só nesta data, mas no e-commerce no geral. Isso porque, ela é vista como uma estratégia de venda humanizada, ainda que virtual. No Brasil, ela foi adotada devido à chegada da pandemia da Covid-19, acontecimento que privou os cidadãos brasileiros e de todo o mundo da liberdade plena. 

O sucesso da ‘Live Commerce’ se consolidou uma vez que possibilitou aos consumidores viverem uma experiência de compra online semelhante à que teria em lojas físicas. A CEO da Mimo Live Sales, Monique Lima, foi a responsável por consolidar o formato de vendas na América Latina.

Em nota enviada ao FDR, Monique Lima, disse que as marcas tiram vantagem deste momento para estimular a realização de lives sob a justificativa de que é a melhor maneira de se aproximar do público online. Isso porque, faz parte do evento promover um conteúdo bastante interativo, normalmente com um provador virtual e pagamento em tempo real, tudo através da mesma plataforma. 

Infelizmente, apesar de toda a evolução, o e-commerce tradicional não viabiliza aos consumidores uma interação instantânea com as marcas. Acredita-se que a razão pela qual o ‘Live Commerce’ caiu no gosto do povo brasileiro seja a força que o evento proporciona em datas comemorativas no âmbito nacional ou celebrações internas. 

Normalmente é nessas ocasiões que as marcas se preparam para oferecer mais produtos e condições especiais de compra e pagamento. No geral, o objetivo da ‘Live Commerce’ vai muito além das vendas, pois no final o foco é se aproximar dos clientes e fidelizá-los com um bom atendimento, mesmo que à distância. 

Vale mencionar que se tornou um hábito durante a ‘Live Commerce’, a presença de algum digital influencer local, que normalmente faz o papel de host do evento. Em outras palavras, é essa pessoa que comanda a apresentação dos produtos, além de contar com o fornecimento de um conteúdo especializado no tema desses mesmos produtos. 

O host também faz um provador ao vivo e oferece ao consumidor um sistema por onde conseguirá realizar a compra e o pagamento enquanto assiste à live. Esse sistema pode ser tanto um site, quanto um aplicativo ou até mesmo o WhatsApp Business da marca. 

Outro fator extremamente relevante na ‘Live Commerce’ é a amplitude da conversão de vendas se comparado ao e-commerce tradicional. Enquanto no primeiro modelo a taxa de vendas gira em torno de 3%, no ‘Live Commerce’ ela pode atingir a marca de 30%. 

O live commerce faz sucesso nessas datas, pois nem todo mundo tem tempo para ir às lojas físicas aproveitar as promoções. E as marcas conseguem turbinar suas promoções e descontos, guiadas pela estratégia da data, e o brasileiro adora comprar mais barato. 

“A experiência mais humanizada faz toda a diferença na hora da compra. Apesar de gostar de descontos, o brasileiro é exigente no atendimento. Ele quer se sentir próximo de suas marcas preferidas e o live commerce possibilita isso”, ponderou a CEO da Mimo Live Sales, Monique Lima

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.