E-commerce avança na Black Friday, mas logística traz problemas

As compras pela internet foram sem dúvidas um dos principais hábitos adquiridos pela população em meio a pandemia. Somente no ano passado, as vendas do e-commerce no país atingiram o patamar dos R$ 87,4 bilhões, uma alta de 41% em comparação com 2019 e um recorde para o segmento, de acordo com um levantamento da Ebit Nielsen.

publicidade

Para as maiores varejistas, o novo costume se tornou uma forma de expansão de sua participação no mercado. Isto aconteceu não apenas por sua posição privilegiada no meio digital, mas porque conseguiram trabalhar a questão logística.

Já foi o tempo em que os consumidores estavam dispostos a esperar muitos dias para receber sua compra. As grandes varejistas brasileiras começaram uma verdadeira batalha para realizar entregas mega rápida chegando a prometer prazos de até uma hora em grandes centros.

Este é o caso do Magazine Luiza, que determinou a entrega neste período em São Paulo, Belém, Salvador, Recife, Fortaleza, Maceió, Aracaju, João Pessoa e Teresina (para produtos de até 6kg).

publicidade

Para conseguir dar conta destes prazos de entrega cada vez mais apertados, as grandes empresa tiveram que investir em centros de distribuição. O Mercado Livre, por exemplo, inaugurou o seu sétimo CD no pais, localizado em Franco Rocha/SP.

Outra maneira encontrada para agilizar a entrega dos pedidos é utilizar as lojas físicas como minicentros de distribuição, como faz o Magazine Luiza, Americanas e Via Varejo.

O objetivo destes centros de distribuição é prestar também o serviço completo de logística, chamado de fullfilment, processo muito usado nos EUA pela Amazon.

De forma geral, estas são operações exclusivas para o atendimento de pedidos de e-commerce e suas respectivas devoluções e que tem níveis de estoques de curto prazo.

O crescimento do varejo no Brasil só contribui para nossa economia, tanto para o lado dos consumidores, quanto para quem está no mercado. Num período de apenas um ano, o setor de serviços de entrega e logística abriu cerca de 88 mil postos de trabalho no pais.

Não é possível determinar quem irá ser o grande destaque no e-commerce no Brasil, porém que a logística é um ponto chave para este sucesso isto é certo.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.