Cartão Move-Mulher é lançado no RJ visando vítimas de violência domiciliar

A Prefeitura do Rio de Janeiro lançou o cartão Move-Mulher, nesta terça-feira (31). Trata-se de um auxílio voltado para o pagamento de passagem nos transportes para as mulheres em situação de violência familiar e doméstica.

Cartão Move-Mulher é lançado no RJ visando vítimas de violência domiciliar
Cartão Move-Mulher é lançado no RJ visando vítimas de violência domiciliar (Imagem: divulgação/Prefeitura do Rio de Janeiro)

O benefício pode ajudar as vítimas, em busca de socorro, a chegarem até os centros de atendimento especializados. O cartão Move-Mulher tem um crédito de R$ 24,30, valor suficiente para seis passagens de ônibus, segundo a Prefeitura do Rio de Janeiro.

Porém, caso um cartão mensal não seja suficiente e a vítima precise de outro no mesmo mês, a equipe de assistentes sociais e psicólogos da prefeitura do Rio será responsável por verificar essa necessidade e providenciar outro cartão Move-Mulher.

O cartão Move-Mulher é um programa da Secretaria Especial de Políticas e Promoção da Mulher. O benefício é para as mulheres que vivem na cidade do Rio de Janeiro, vítimas de violência familiar e doméstica.

Além disso, essas precisam ter uma renda per capita familiar de até meio salário mínimo e que tenha 18 anos ou mais, ou que são mães adolescentes. Estando dentro desses requisitos, a mulher pode solicitar o benefício.

A secretária especial de Política e Promoção da Mulher, Joyce Trindade, afirmou que várias mulheres não conseguem acabar com o ciclo da violência por não conseguirem chagar ao Centro Especializado de Atendimento à Mulher, à Casa da Mulher Tia Doca e a Casa da Mulher Dinah Coutinho.

Nesta primeira fase, serão entregues 1.950 auxílios. Cada mulher beneficiada pelo projeto receberá um cartão de transporte igual aos demais, sem qualquer caracterização que faça referência ao programa.

Mensalmente, o Centro Especializado de Atendimento à Mulher Chiquinha Gonzaga (CEAM) realiza cerca de 250 atendimentos a mulheres em situação de violência familiar e doméstica. O CEAM realiza um acompanhamento regular de aproximadamente 130 mulheres.

Muitas das mulheres atendidas pelo CEAM são domiciliadas em localidades distantes. Além disso, muitas dessas mulheres estão em situação de vulnerabilidade econômica e social, em subempregos ao até mesmo desempregadas e a renda não chega a um salário mínimo.

Essa situação limita a chegada e retorno das mulheres ao atendimento e acompanhamento regular realizada pelo CEAM. Assim, o cartão Move-Mulher possibilitará que as mulheres consigam se locomover até a rede de apoio contra à violência familiar e doméstica.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Cartão Move-Mulher é lançado no RJ visando vítimas de violência domiciliar

Glaucia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, além de realizar consultoria de redação on-line.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA