Florianópolis cria auxílio exclusivo para vítimas de violência doméstica

A Prefeitura de Florianópolis criou um auxílio exclusivo para mulheres vítimas de violência doméstica. O benefício também ampara jovens que completam 18 anos e precisam buscar um novo local de residência após saírem dos abrigos públicos.

Florianópolis cria auxílio exclusivo para vítimas de violência doméstica
Florianópolis cria auxílio exclusivo para vítimas de violência doméstica. (Imagem: Metrópoles)

O auxílio será de um salário mínimo vigente, ou seja, R$ 1.100, pago durante seis meses, podendo ser prorrogado por mais três meses. O valor deve ser, prioritariamente, utilizado para bancas as despesas de moradia desses dois públicos-alvo da medida. 

Na oportunidade, a secretária de Assistência Social de Florianópolis, Maria Cláudia Goulart, destacou que o objetivo do auxílio é promover a independência financeira dessas mulheres em situação de violência.

“E também para os jovens que completam 18 anos e passam a sair dos nossos abrigos quando a medida de proteção termina”, declarou. 

A Prefeitura de Florianópolis também deu início à campanha Agosto Lilás, Campanha Nacional de Conscientização à Violência Doméstica. As ações têm o objetivo de mostrar para essas mulheres vítimas de violência doméstica que há uma saída para a situação em que se encontram.

Por esta razão, o foco continua sendo no auxílio moradia, para que se sintam seguras de que terão um teto caso decidam terminar a relação. 

A secretária Maria Cláudia ainda disse que os Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) possuem uma equipe especializada para atender mulheres vítimas de violência doméstica durante o ano todo.

Essas unidades estão aptas a proporcionar um espaço para essas mulheres, além de as colocarem em uma posição de análise para avaliar se este é o caso delas e, assim, dar a oportunidade e todo apoio para fazerem a denúncia. 

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Datafolha no mês de junho atendendo aos pedidos do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), apontou que uma a cada quatro mulheres com mais de 16 anos de idade afirmam ter sofrido algum tipo de violência no decorrer de 2020 no Brasil, durante a pandemia da Covid-19. 

O levantamento mostra que foram cerca de 17 milhões de mulheres, 24,4%, vítimas de violência física, psicológica ou sexual desde o ano de 2020.

Em comparação aos dados da pesquisa anterior, é possível identificar um aumento nítido no número de agressões dentro da própria casa. Os registros passaram de 42% para 48,8%. Em contrapartida, as agressões nas ruas caíram de 29% para 19%.

No intuito de combater este crime, em julho Bolsonaro sancionou um Projeto de Lei que cria o Programa de Cooperação “Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica”.

A partir de agora, perante a Lei, toda mulher vítima de violência poderá pedir socorro em locais públicos ao exibir um “x” em vermelho na palma da mão. 

https://www.youtube.com/watch?v=mdUyJrR5z6s&t=7s&ab_channel=FDR-Finan%C3%A7as%2CDireitos%2CRenda

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Florianópolis cria auxílio exclusivo para vítimas de violência doméstica

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA