Valores esquecidos: mais de 3 milhões de contas têm mais de R$ 100 a receber; saiba como consultar

Pontos-chave
  • Consulta e resgate dos valores esquecidos estão disponíveis para novos grupos;
  • Portal de consulta será reestruturado em breve;
  • Resgates podem ser concluídos via PIX.

A divulgação em massa dos valores esquecidos do Banco Central (BC) gerou grandes expectativas em milhares de brasileiros. Contudo, muitos deles foram negativamente surpreendidos por quantias inferiores a R$ 1, valor que compõe cerca de 43% da distribuição total. 

Valores esquecidos: mais de 3 milhões de contas têm mais de R$ 100 a receber; saiba como consultar
Valores esquecidos: mais de 3 milhões de contas têm mais de R$ 100 a receber; saiba como consultar. (Imagem: Montagem/FDR)

Mas nem tudo foi por água abaixo, por ainda existirem valores esquecidos consideráveis a serem recebidos. Cerca de 3,2 milhões de brasileiros podem receber, em média, R$ 100 ou mais. Na situação de esquecidos superiores a R$ 100 mil, 1.370 casos compõem este grupo. 

No último cenário o valor distribuído aos titulares chega a R$ 298,4 milhões segundo um boletim divulgado pelo Banco Central na última quarta-feira, 30. É importante explicar que a quantia final que cada brasileiro poderá receber, pode ou não estar vinculada a mais de uma conta bancária que já não é movimentada há tempos. 

Normalmente isso acontece quando o mesmo CPF está vinculado a mais de um valor a receber. Por esta razão, o total disposto na tabela do BC, que é de 32,7 milhões, é maior do que o número de pessoas físicas beneficiadas, 27,5 milhões. 

Consultas e agendamentos

Uma nova rodada de resgate dos valores esquecidos começou na última segunda-feira, 28, e irá vigorar até o dia 16 de abril. É importante estar ciente de que, os agendamentos neste intervalo ocorrem escalonadamente. Ou seja, com base na data de nascimento ou na data de abertura da pessoa jurídica. 

O Banco Central destacou que, após o dia 17 de abril, o sistema Valores a Receber será submetido a uma atualização. Portanto, a próxima fase de consultas deve acontecer somente do dia 2 de maio em diante. Porém, não será mais necessário agendar o resgate. 

Em breve o sistema irá disponibilizar facilmente todos os dados encaminhados pelas instituições financeiras. Desta forma, mesmo que já retirou os valores esquecidos ou que não tinha nenhuma quantia a receber na primeira etapa, terá a chance de fazer uma nova consulta. 

Quem tem direito aos valores esquecidos?

Na etapa atual, os valores esquecidos podem ser resgatados por pessoas que possuem saldos referentes aos seguintes serviços:

  • Contas-correntes ou de poupança encerradas, com saldo disponível;
  • Tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas de forma indevida, com a condição de que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado pelo banco junto ao Banco Central;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito;
  • Valores ainda não procurados relativos a grupos de consórcio já encerrados. 

Consulta e retirada dos valores esquecidos

Confira detalhadamente o passo a passo para a retirada de valores a seguir:

  • Passo 1 – Acessar o site de consulta na data e período informado para saque do primeiro período. Quem se esquecer deve aguardar até o dia 7 de março;
  • Passo 2 – Fazer login na plataforma Gov.br através de conta nível prata ou ouro. Quem não possuir conta junto ao Governo deve criar um cadastro e, de preferência, fazer o acesso usando os dados bancários para atingir o nível prata. Não é recomendado criar a conta e elevar o nível no dia de agendamento do resgate;
  • Passo 3 – Leia e aceite o termo de responsabilidade;
  • Passo 4 – Verifique o valor a receber que será devolvido pela instituição de origem;
  • Passo 5 – Clique na opção indicada: “Solicitar por aqui”. A instituição financeira irá devolver a quantia via PIX. Basta selecionar a chave desejada e verificar os dados bancários antes de concluir a operação.

Conta especial no Gov.br

Vale destacar que o resgate requer a execução de um passo a passo específico através do portal Gov.br. A conta do Governo Federal viabiliza o acesso a portais secundários como o Meu INSS, a Carteira de Trabalho Digital, a Receita Federal, Justiça Federal, entre tantos outros. 

Segundo as instruções do Banco Central, quem tiver ‘dinheiro esquecido’ nos bancos deve acessar a respectiva conta do Gov.br através do nível de segurança “prata” ou “ouro”. Somente então será possível solicitar o resgate dos recursos, uma vez que este formato de conta oferece mais segurança. 

As contas do Gov.br são distribuídas em três níveis de segurança, entre bronze, prata e ouro. Logo, o resgate de ‘dinheiro esquecido’ é um serviço exclusivo das modalidades prata e ouro, os níveis mais elevados. Assim, quanto maior a segurança de validação dos dados do usuário em bases da Justiça Eleitoral ou certificado digital, por exemplo, maior também será o nível da conta.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.