Abrava convoca brasileiros para um protesto contra o aumento dos combustíveis

A alta dos combustíveis tem sido motivo de revolta e indignação nos brasileiros. Por isso, a Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava), através do seu presidente, Wallace Landim, convoca os brasileiros para um protesto contra o aumento dos combustíveis. 

Para o chefe da Abrava, trata-se de uma pauta que afeta toda a sociedade, não apenas os caminhoneiros ou demais proprietários de veículos. Na oportunidade, Wallace Landim lembrou do episódio que aconteceu no ano de 2013, época em que, o que parecia ser um simples aumento nas passagens de ônibus, resultou em um protesto geral. 

Isso porque, o impacto da alta nos combustíveis vai muito além do bolso dos proprietários de veículos. Todo um sistema é afetado, tendo em vista que o modelo de distribuição de produtos em território nacional é feito em caminhões. 

Portanto, o encarecimento na prática de abastecimento do tanque de combustível é repassado aos consumidores através do aumento no preço de produtos e, em alguns casos de serviços. 

O presidente da Abrava exemplifica a situação através dos aumentos nos fretes. Desta forma, a tendência é que todos os produtos vendidos em supermercados, lojas, shoppings, etc, fiquem cada vez mais caros.

Wallace Landim foi questionado sobre a possibilidade de os caminhoneiros aderirem a uma paralisação. Como resposta ele disse que se isso acontecer, será uma atitude natural e não manipulada. 

Quer dizer que o aumento dos custos combinado a mais viagens, pode tornar o exercício economicamente inviável, especialmente porque ninguém quer e nem vai trabalhar no prejuízo.

“No segmento de transportes, o que sustenta um caminhão é o petróleo. Além do diesel, temos pneu, lubrificantes, filtros [tudo vai ter reajuste]. Como o motorista vai sobreviver?”, questionou o presidente da Abrava. 

Landim ainda disse acreditar que as medidas de contenção adotadas pelo Governo Federal não são eficazes a longo prazo, mas são o bastante para reverter a situação por hora. É uma maneira de “tapar o sol com a peneira”. 

Para a Abrava, a medida mais viável para amenizar a alta dos combustíveis é extinguir o preço de paridade de importação (PPI) adotado pela Petrobras, bem como as privatizações das refinarias. A associação arrisca afirmar que este não será o único reajuste a curto prazo, pois prevê um novo aumento no percentual em breve.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.