Como descobrir se o seu CPF foi utilizado por terceiros?

Os golpes eletrônicos são cada vez mais comuns e mais sofisticados. No primeiro semestre de 2021, por exemplo, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) registrou um crescimento de 26% nos casos de phishing, quando criminosos criam links e sites fraudulentos para roubar dados dos usuários.

Outro acontecimento preocupante foi o megavazamento ocorrido no início do ano passado, quando os dados de de milhões de brasileiros ficaram expostos na internet e até foram comercializados pelos criminosos. Foi o maior vazamento do tipo no país, tanto pela quantidade de pessoas atingidas, como pela riqueza de informações vazadas: até a cor dos veículos dos consumidores foi exposta.

O CPF (Certificado de Pessoa Física) é uma das principais informações legais dos cidadãos e que pode ser facilmente exposta, até mesmo pelo seu portador. As consequências, no entanto, podem ser graves: criminosos podem abrir contas bancárias, fazer compras, empréstimos e aplicar golpes em outras pessoas usando o CPF exposto.

Por isso, é importante tomar medidas de proteção aos seus dados pessoais e se manter atento ao uso indevido do seu CPF. A seguir, te explicamos como descobrir se o seu CPF está sendo usado por terceiros.

Como descobrir se o seu CPF foi usado por terceiros

Um dos principais riscos de ter o CPF exposto é que ele seja usado para abrir contas bancárias ou contratar produtos financeiros. Para descobrir se o seu CPF foi usado dessa forma você deve usar a ferramenta Registrato, do Banco Central. Confira o passo a passo:

Primeiramente, acesse o portal do Registrato. Caso você ainda não tenha um cadastro, será solicitado que você se cadastre através do gov.br ou pelo Banco Central.

Pelo gov.br é preciso fornecer CPF, nome completo, telefone celular e e-mail, clicar em “Não sou um robô”, aceitar os termos e condições de uso e responder a um questionário de validação. Em seguida, deve-se escolher um canal (SMS ou e-mail) para receber um código de segurança. Após digitar o código na plataforma, deve-se informar novamente o CPF e escolher uma senha de acesso.

Pelo Banco Central, é necessário informar também alguns dados pessoais, como CPF e nome do banco utilizado. Em seguida, uma frase de segurança será gerada e você deverá validá-la no site do seu banco. Por fim, deve-se informar um e-mail e uma senha de 8 digítos e clicar em “Concluir credenciamento”.

Pronto! Você já poderá acessar o Registrato, usando sua senha e CPF. Dentro dessa plataforma, existem as opções “Meus endividamentos”, “Meus relacionamentos financeiros” e “Minhas operações de câmbio”, que podem ser usadas para monitorar o uso do seu CPF.

Serasa Antifraude

Outra ferramenta que pode ser usada pelos consumidores para descobrir o uso criminoso do CPF por terceiros é o Serasa Antifraude. Por meio de uma assinatura anual, é possível receber avisos por e-mail ou SMS toda vez que o CPF for consultado, negativado, usado para abrir empresas ou estiver perto de ser negativado.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amaury Nogueira
Amaury da Silva Nogueira é bacharelando em Letras/Edição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apaixonado pelo universo da escrita, atua há dois anos como redator e realiza pesquisas sobre história da edição no Brasil. Além disso, atualmente pesquisa também sobre direitos e benefícios sociais para agregar conhecimento na redação do portal de notícias FDR.