Planeje-se! Ano novo vai cobrar IPTU, IPVA e mais tributos

Ah, o início do ano! Todo mês de janeiro tem cara de segunda-feira, em boas palavras isso significa que o mês força as pessoas a recomeçarem. A população traça metas, cria seus objetivos e coloca tudo no papel. Incluindo, a vontade de pagar suas contas em dias, como o IPVA, IPTU, a fatura do cartão e mais.

Mas, por que isso parece tão difícil?. Acontece que embora estes gastos já estejam previstos, muitas pessoas esquecem de montar um planejamento financeiro que suporte o pagamento de tantas contas de uma única vez.

O governo estadual, responsável pelo Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), e a prefeitura que dirige o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), se responsabilizam pela forma de pagamento.

Normalmente, o IPVA pode ser pago em no máximo cinco a oito parcelas. Enquanto o IPTU, em alguns casos, pode ser dividido ao longo de todo ano em até dozes vezes. Claro que isso depende da organização de cada região e governo.

Mas, para quem não tem o valor total para quitar os tributos à vista e com descontos que podem chegar a 30%, o parcelamento acaba sendo a melhor solução. O que não pode é o cidadão deixar de pagar, porque isso gera multas, juros, e restrições tanto do CPF quanto do bem em si.

No caso do IPTU atrasado, o imóvel não pode registrar obras na prefeitura, não pode ser vendido ou passado em herança. E no IPVA, sem o pagamento o governo impede a liberação do licenciamento, logo o veículo fica proibido de circular pelas vias e fica sujeito à multa e apreensão.

Fantasmas de 2021

De acordo com informações divulgadas pelo Fecomércio SP, há mais pessoas endividadas e consequentemente com menos confiança para pagar suas dívidas.

E não para por aí, o Fecomércio PE publicou uma pesquisa mostrando que existem 30,3% de famílias com contas em atraso, e outras 15,7% de famílias sem condições de quitar suas dívidas. 

Os motivos são muitos, a alta do desemprego, a inflação que encareceu os itens mais básicos para sobrevivência, como a alimentação, conta de água e luz, gasolina e o gás de cozinha. Além desses, o fim do pagamento do auxílio emergencial e a falta de um planejamento financeiro também são considerados.

Além disso, o salário mínimo não acompanha a alta dos preços, o que dificulta o pagamento dos tributos obrigatórios. No caso do IPVA, por exemplo, os governos estaduais têm buscado soluções após a alta valorização dos veículos que consequentemente vai encarecer o valor do imposto. 

Em São Paulo, o tributo que poderia ser pago em três vezes, agora vai poder ser dividido em cinco vezes. Enquanto isso, em Minas Gerais os deputados foram favoráveis ao congelamento das alíquotas de cobrança. 

Lucas Palma, diretor de conteúdo do Zul+,faz uma sugestão para quem não tem dinheiro disponível para pagar o imposto nesse início de ano.

Deixa o imposto atrasar para só depois negociar o pagamento com a Procuradoria Geral do Estado? Melhor não porque o IPVA atrasado rende juros diários e suja o nome do proprietário. Por isso, a recomendação é o parcelamento do tributo com as soluções disponíveis no mercado.

Outros débitos cobrados em 2022

Embora esses sejam os mais populares, os cidadãos brasileiros devem ter ciência de que os tributos cobrados sobre seu veículo ou imóvel não são os únicos.

Logo no começo do ano também é necessário quitar os boletos relacionados a matrícula escolar, dos filhos que frequentam o ensino privado, e o material escolar até para quem está na escola pública.

Estes também são gastos previstos, mas que podem ser esquecidos durante o interesse maior em gastar com os presentes de Natal e as férias. Por isso, devem estar dentro do seu orçamento e planejamento.

Poucos meses depois, o cidadão precisa começar a se preocupar com o Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), que pode ser descontado do seu salário, debitado na conta corrente ou pago em uma guia emitida na Receita Federal.

O IRPF aplica uma alíquota sobre o rendimento e bens adquiridos pelo brasileiro no ano anterior, ou seja, em 2021. Por isso, precisa ser declarado e enviado com uma série de documentos e registros que comprovem o que foi gasto e adquirido.

E agora, como me programar para o início de 2022?

Segundo a especialista financeira, e colunista do FDR, Karem Ochsendorf, o grande segredo para não se perder nas contas é montar um bom planejamento para 2022.

Como? Colocando tudo no papel e planilhando seus gastos a curto, médio e longo prazo. Destinando seu dinheiro mês a mês, e considerando até as contas mais básicas como a água, luz, telefone, internet e seu cartão de crédito. 

Ao analisar o seu mapa, você conseguirá se organizar melhor, entendendo que mesmo que em abril, por exemplo, você não tenha nenhum gasto variável previsto e o seu dinheiro acabe sobrando, em maio você tem muitos eventos e se você não poupar, haverá falta.

 

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Lila Cunha
Lila Cunha é formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atua como repórter especial para o portal FDR. É responsável por selecionar as informações abordadas e garantir o padrão de qualidade das notícias veiculadas. Além disso, trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional.