Selic bate 9,25% e reflexos poderão ser sentidos direto no seu FGTS

Na última quarta-feira (08), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumentou a taxa básica de juros, conhecida como Selic. Com isso, os juros passaram de 7,75% para 9,25% ao ano.

publicidade

A taxa Selic foi reajustada na última quarta-feira (08) pelo Copom, devido aos constantes aumentos da inflação. Com isso, a correção do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) sentirá as mudanças.

O Banco Central utiliza a taxa Selic, como Taxa Referencial (TR) para corrigir as aplicações da caderneta de poupança, das prestações dos empréstimos do Sistema Financeiro da Habitação e do FGTS.

A TR é calculada pelo Banco Central a partir dos juros das Letras do Tesouro Nacional (LTN), que variam conforme a Selic. Sendo assim, a estimativa do mercado financeiro é que a Taxa Referencial fique em torno de 0,05%.

publicidade

Em julho de 2017, por exemplo, a Selic operava em 9,25% ao ano. Com isso, a TR chegou a 0,0623%. Porém, a nova Taxa Referencial só poderá ser confirmada após o Banco Central divulgar o cálculo mensal referente a dezembro.

Em relação ao FGTS, o aumento da Selic também afeta a arrecadação, já que o fundo tem a rentabilidade calculada em 3% ao ano mais a TR. Como a taxa será superior a zero, o rendimento do fundo irá aumentar. A estimativa é que a correção tende a subir a quase 4%.

Com isso, o lucro do fundo, ou seja, o valor a ser dividido com os trabalhadores, deve aumentar. Neste ano, os trabalhadores com saldo na conta do FGTS em 31 de dezembro de 2020 receberam no mês de julho uma porcentagem do lucro obtido pelo fundo no ano passado, calculado em R$ 8,5 bilhões.

A poupança também sofre algumas modificações com o aumento da Selic, principalmente quando essa ultrapassa os 8,5%. De acordo com a legislação, quando essa taxa fica acima de 8,5%, a poupança rende TR mais 0,5% ao mês.

Quando a Selic for igual ou inferior a 8,5% ao ano, a remuneração da poupança deverá ser composta pela TR mais 70% da taxa Selic mensal. A alta na taxa básica de juros faz com que haja mais investimentos na poupança, já que os rendimentos da renda fixa ficam maiores.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.