Bolsonaro sinaliza interesse em aumentar salário dos policiais em 2022

Em plena crise econômica, Bolsonaro avalia aumentar salário dos policiais. Na última semana, em evento realizado em Dubai, o presidente da república informou que está estudando a possibilidade de reajustar o piso salarial de alguns servidores. Segundo ele, os privilegiados seriam os militares.

Bolsonaro sinaliza interesse em aumentar salário dos policiais em 2022 (Imagem: FDR)
Bolsonaro sinaliza interesse em aumentar salário dos policiais em 2022 (Imagem: FDR)

Enquanto o ministério da cidadania informa que não irá trazer aumento significativo para o salário mínimo do trabalhador, o presidente Jair Bolsonaro avalia a possibilidade de aumentar a renda dos policiais.

A medida foi informada por ele na Expo 2020, uma exposição internacional que ocorre no emirado do Golfo Pérsico.

Detalhes sobre o reajuste salarial

De acordo com o chefe de estado, a proposta avalia quais serão as categorias contempladas. No entanto, ele garante que ao menos três já estão inclusas na lista, sendo elas: policiais federais, policiais rodoviários federais e policiais penais.

A medida deverá ser enquadrada no Orçamento aberto pela PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios, que dribla o teto de gastos.

Daí dá para a gente atender [com a PEC dos Precatórios] os mais necessitados, dá para atender a questão orçamentária, pensamos até em obviamente, dado o espaço que está sobrando, atender em parte os servidores“, afirmou o gestor.

O que dizem os especialistas

De acordo com os analistas econômicos, a proposta deverá ter um custo de aproximadamente R$ 2 bilhões. Porém, o valor que o governo espera arrecada na PEC dos Precatórios é de R$ 91 bilhões.

A previsão é de que a medida seja avaliada ainda nas próximas semanas, sendo encaminhada para o Congresso. No entanto, sua validação só poderá ocorrer após a aprovação do Orçamento de 2022, mediante a definição da PEC dos precatórios.

Sobre a PEC dos Precatórios

O projeto espera levantar os seguintes valores:

  • R$ 44,6 bilhões decorrentes do limite a ser estipulado para o pagamento das dívidas judiciais do governo federal (precatórios);
  • R$ 47 bilhões gerados pela mudança no fator de correção do teto de gastos, incluída na mesma PEC.

O valor deverá ser encaminhado para as seguintes pastas:

  • R$ 50 bilhões serão destinados ao Auxílio Brasil para liberar o novo valor médio de R$ 400;
  • ajuste dos benefícios vinculados ao salário mínimo;
  • elevação de outras despesas obrigatórias;
  • despesas de vacinação contra a Covid;
  • vinculações do teto aos demais poderes e subtetos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.