Veja quanto o governo economizou com home office na pandemia

O Governo Federal divulgou que houve uma redução de R$ 1 bilhão em gastos com servidores, devido a adoção de home office, por causa da pandemia de Covid-19. R$ 9,7 milhões foram economizados apenas com a diminuição do serviço de cópias e reproduções de documentos.

publicidade
Veja quanto o governo economizou com home office na pandemia
Veja quanto o governo economizou com home office na pandemia (Imagem: Reprodução/Google)
publicidade

Os dados são de acordo com analises realizadas pelo Ministério da Economia entre os meses de abril e agosto. Durante esse período grande parte dos funcionários trabalhou de forma remota devido à pandemia de Covid-19.

As maiores economias vieram com a redução de gastos com custeio, como diárias e passagens e serviços de luz, energia, comunicação e esgoto. Os dados foram divulgados na sexta-feira (25) pelo Ministério da Economia.

Os gastos com diárias, passagem e despesas de locomoção tiveram uma média mensal de R$ 140 milhões em 2019. Em 2020, as mesmas despesas caíram para R$ 45 milhões, dessa maneira, durante os cinco meses, a redução foi de R$ 470 milhões.

Ainda, de acordo com o Ministério, foram gastos R$ 859 milhões a menos do que no mesmo período de 2019. Além disso, 63 mil servidores do Governo Federal continuam trabalhando no formato home office.

O Governo Feral conseguiu reduzir até em gastos simples, como serviços de cópias e reprodução de documentos. De acordo com os dados analisados o governo economizou R$ 9,7 milhões durante esses cinco meses só com esses dois serviços.

Além dessas reduções, segundo o Ministério ad Economia, R$ 161 milhões foram economizados por conta da diminuição de gastos com pagamento de auxílios aos servidores do Governo Federal.

Esses auxílios foram vedados desde o início da pandemia, quando foi adotado o trabalho remoto. Entre os auxílios vetados, estão: adicionais de insalubridade, periculosidade, adicional noturno e o auxílio-transporte.

Além disso, com a adoção do trabalho em casa, não é necessário o recebimento desses auxílios e adicionais, já que o trabalhador está protegido ou, nos casos dos auxílios, não será usado, como é o caso do auxílio-transporte.

A ideia foi proteger os trabalhadores, porém também foi possível ter uma redução de gastos, já que não é preciso usar os ambientes e, por consequência, há a redução nas contas de água, energia, esgoto e auxílios.

Glaucia AlvesGlaucia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 7 anos. Esse ano começou a trabalhar como redatora e como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR e realiza consultoria de redação on-line.