Segundo as informações divulgadas pelo Banco Central na última quinta-feira (04), a captação líquida da poupança no mês de meio foi a maior de toda a série histórica.

publicidade
Poupança bate novo recorde de captação em maio; investimento voltou a ser rentável?
Poupança bate novo recorde de captação em maio; investimento voltou a ser rentável? (Imagem: Reprodução Google)
publicidade

Chamamos de captação líquida o resultado entre os saque e os depósitos, era comum em alguns meses atrás que esse resultado fosse negativo, com muitos brasileiros trocando a poupança tradicional por investimentos mais rentáveis.

Porém entre março e maio deste ano tivemos um enorme salto das aplicações na caderneta, o valor acumulado neste período foi de impressionantes R$ 79,8 bilhões.

Infelizmente isso não significa que o investimento se tornou mais lucrativo ou vantajoso, pelo contrário, com a queda nas taxas de juros, o investimento está rendendo abaixo da inflação.

Como explicar o crescimento da poupança durante a crise?

Esse não é o tipo de pergunta que só tem uma resposta. Vários são os fatores que levaram tantos brasileiros a abrir uma nova caderneta ou aumentar a reserva no investimento.

O primeiro motivo pode ser a própria necessidade de poupar recursos durante eventos como esse. Com um cenário tão incerto, é muito importante tentar guardar algum recurso para o futuro.

Muitas famílias sabem que precisam manter algum dinheiro guardado para emergências como:

  • Desemprego
  • Gastos com saúde
  • Gastos com remédios e etc.

A queda no consumo também pode ser outro motivo para o crescimento, com menos gastos com combustível, transporte e outras compras. Com algumas isenções fiscal e outros incentivos do governo, algumas família tiveram mais facilidade de fazer sobrar algum recurso nos últimos meses.

Seja por necessidade ou para guardar o que sobrou da renda, muitas pessoas tiveram que poupar algum recursos nos últimos meses. Grande parte parte delas sem muita informação de qualidade sobre investimentos.

Provavelmente todos esses fatores combinados com a falta de informação e também da desconfiança quanto ao mercado brasileiro, levou tanto dinheiro para a poupança.

Embora esse aumento seja em parte positivo, ele também revela alguns sinais ruins para nossa economia e principalmente para as projeções de recuperação do país.

O aumento da valor guardado também reflete a queda no consumo das famílias. Esse consumo é muito importante para manter a economia girando.

Um aumento tão grande nos recursos guardados mostra que embora o governo esteja injetando recursos na economia, a parte mais rica do Brasil está tirando o capital de circulação.

Isso pode se tornar um problema caso a queda do consumo dure mais tempo, já que menos vendas também significa menos funcionários.

Por outro lado, existem maneiras mais eficiente e lucrativas de se guardar dinheiro para o futuro, confira algumas opções à poupança.

Investimentos tão seguros quanto à poupança, mas que rendem mais

O primeiro requisito para você encontrar um substituto para a poupança é encontrar investimentos tão ou mais seguros do que ela. Afinal de contas, com um  cenário tão incerto, não vale muito a pena arriscar tudo em investimentos com mais risco.

Para garantir essa segurança é buscar investimentos com alguma garantia, as principais são:

  • Fundo Garantidor de Crédito – Garantem boa parte dos investimentos em Renda Fixa, principalmente emitidos por bancos.
  • Tesouro Nacional – Os títulos públicos, embora não tenham garantia do FGC, são segurados pelo Tesouro Nacional que pode ser considerada a garantia mais forte da economia.

Além da segurança, também é importante lembrar da liquidez, que é a facilidade em resgatar o que foi investido.

Para ter certeza que vai ter acesso ao dinheiro que guardar na hora de uma emergência, é importante saber quanto tempo leva para resgatar um investimento.

Embora a poupança esteja disponível para saques rapidamente, existem outros investimentos com essa característica.

Os principais são as contas que rendem 100% e o Tesouro Selic. As contas que rendem 100% do CDI permitem o saque do capital e dos juros a qualquer instante.

O Tesouro Selic já é um pouco mais lento, mas ainda sim em até um dia já é possível resgatar tudo o que foi investido mais os juros.

Por último é importante lembra também da rentabilidade de cada investimento. De nada adianta trocar a poupança por algo que renda menos.

Numa comparação com a poupança, investimentos com 100% do CDI e no Tesouro Selic rendem em média 43% a mais do que a caderneta. Além de render mais também apresentam uma taxa de juros acima da inflação.

Para acessar os títulos públicos é necessário utilizar uma corretora, que pode inclusive ser gratuita para isso. Já as contas 100% dependem do serviço bancário que você usa.

Bancos e fintechs como:

  • Banco Inter
  • Banco Original
  • Conta Nubank
  • Pagbank
  • PicPay

São exemplos de bancos digitais que mantêm o seu saldo rendendo 100% do CDI.

Sandro Messa possui bacharelado em Ciências e Humanidades e Ciências Econômicas pela Universidade Federal do ABC (UFABC). No mercado de trabalho, tem passagem pelo Banco Mercantil do Brasil, como gerente de relacionamento. Atuou também como assessor de investimentos no Itaú Personnalité e na XP Investimentos. Atualmente, trabalha como Consultor Financeiro e dedica-se à redação do portal FDR.