Com um início de ano conturbado, muitos brasileiros estão procurando como podem mudar o rumo nas despesas e iniciar um planejamento financeiro.

publicidade

Se você deseja terminar o ano melhor do que começou, quitando dívidas antigas e começando a investir, o primeiro passo é fazer um profundo e sincero diagnóstico da sua vida financeira.

Planejamento financeiro: passo a passo COMPLETO para iniciar uma vida financeira organizada
Planejamento financeiro: passo a passo COMPLETO para iniciar uma vida financeira organizada (Imagem: Reprodução Google)
publicidade

Confira se você se identifica com alguns “sintomas” de quem está mal organizado financeiramente:

  • A conta parece um saco sem fundo! Mesmo nos meses em que recebo mais, não sei para onde vai todo o dinheiro.
  • Sinto que com o meu salário poderia ter um padrão de vida muito melhor se não tivesse tantas contas.
  • Tento guardar todos os meses, mas nunca me sobra nada.
  • Sei que planejar minha aposentadoria é importante, mas ainda não comecei nenhum plano de investimento.

Se você se identificou com uma ou mais afirmações dessa lista, é sinal de que precisa dar mais atenção a sua vida financeira.

O planejamento financeiro não é uma receita mágica que vai te deixar rico do dia para noite, pelo contrário, é uma maneira prática de se organizar e lidar melhor com o seu dinheiro.

Independente de quanto você ganha, ter um bom planejamento financeiro pode te trazer uma série de benefícios:

  • Conquistar sonhos financeiros sem precisar se endividar em excesso;
  • Ter um sono tranquilo sabendo que todos os seus compromissos financeiros serão quitados;
  • Pagar mais barato em compras e viagens por comprar com antecedência.

Enfim, são uma série de vantagens que estão ao alcance se você conseguir se planejar. Não que seja um processo rápido e fácil, pelo contrário, leva um tempo e pode ter suas dificuldades, mas também recompensa quem leva o planejamento até o fim.

Se você quer começar a se planejar melhor, confira os primeiros passos para cuidar melhor do seu dinheiro e organizar suas finanças.

1 – Nunca gaste mais do que ganha

O primeiro passo é o mais simples e também o mais importante, não gastar mais do que ganha.

Utilizar muito o cartão de crédito ou o cheque especial pode mascarar os seus gastos e te dar sensação de que vai poder pagar por tudo que gastou no último mês, mas o ideal é ter um controle mais rígido de quanto ganha e de quanto ganha.

Nem sempre temos a ideia correta de quanto ganhamos e muito menos de quanto gastamos exatamente todos os meses.

Por isso, para ter certeza que você está cumprindo o primeiro passo é importante contabilizar todas as suas entradas e saídas.

Isso nos leva ao segundo passo:

2 – Ter e acompanhar seu fluxo de caixa

Praticamente em todos os artigos sobre finanças, lembro da importância de contabilizar todos os meses, o que entra e sai da sua conta.

Se você pensar em como é duro conseguir o seu salário todos os meses, terá de concordar que não é justo deixar que o seu dinheiro vá embora sem saber para onde foi.

Por isso é tão importante contabilizar tudo, cada saque e transação no débito e no crédito. Mesmo os pequenos gastos quando colocados juntos podem fazer muita diferença em quanto vai sobrar ou faltar no final do mês.

Só após saber suas reais receitas e gastos que você pode começar a entender para onde está indo o seu salário e se é realmente assim que quer gastá-lo daqui para frente.

A partir do seu fluxo de caixa é que você pode começar a planejar os próximos meses, isso nos leva para o 3º passo.

3 – Separe os seus gastos fixos dos variáveis

Gastos fixos são aquelas contas que mesmos com algumas mudança precisam ser pagas todos os meses.

São exemplos de contas fixas:

  • Aluguel;
  • Energia;
  • Combustível e etc

Os gastos variáveis são aqueles que podem ser maiores ou menores, é neles que você pode realizar reduções para sobrar para outras coisas.

4 – Pense no futuro antes do presente

Embora pareça vago, essa regra significa pensar primeiro em guardar alguma coisa para o futuro antes de gastar com algo no presente.

A ordem como você gasta o seu dinheiro é um pequeno detalhe que pode te ajudar a começar a poupar todos os meses, a melhor ordem é:

  1. Contas e gastos essenciais: Água, luz, financiamento, internet, condomínio, escola, curso e etc;
  2. investimento: Separe a quantia que você definiu que consegue guardar todos os meses (poupança, tesouro direto e etc);
  3. Gastos variáveis e não essenciais: Comer fora, happy hour, roupas novas e etc.

Após separar os seus gastos e definir quanto você pode poupar todos meses, você vai começar a ter um valor para ser investido.

Para isso você precisa saber onde começar a investi, esse é o 5º passo.

5 – Monte a sua reserva de emergência

A reserva de emergência é o primeiro investimento que devemos fazer, serve justamente para cobrir imprevistos ou gastos inesperados que precisam ser pagos.

Ter uma reserva de emergência te ajuda a não perder todo o trabalho de planejamento que você teve e precisar começar do zero.

Os melhores investimentos para fazer a sua reservas de emergência são aqueles mais seguros e que podem ser resgatados a qualquer momento.

Exemplos de investimentos para reserva de emergência: Tesouro Selic e Fundos DI.

Sandro Messa possui bacharelado em Ciências e Humanidades e Ciências Econômicas pela Universidade Federal do ABC (UFABC). No mercado de trabalho, tem passagem pelo Banco Mercantil do Brasil, como gerente de relacionamento. Atuou também como assessor de investimentos no Itaú Personnalité e na XP Investimentos. Atualmente, trabalha como Consultor Financeiro e dedica-se à redação do portal FDR.