O que muda após queda da taxa de juros? Saiba o que fica mais barato

Pontos-chave
  • Essa será a última redução dos juros em 2023
  • Taxa básica de juros influencia diversos setores
  • Serviços poderão ficar mais baratos por causa da redução

Taxa Selic poderá ser reduzida mais uma vez pelo Banco Central antes do final do ano. Essa queda da taxa de juros deve colocar o Brasil no patamar de 2022. Redução deve afetar alguns produtos; veja quais.

O que muda após queda da taxa de juros? Saiba o que fica mais barato
O que muda após queda da taxa de juros? Saiba o que fica mais barato (Imagem: FDR)

No início do mês de agosto o Banco Central reduziu a taxa Selic, agora, aparentemente uma nova queda será feita. a expectativa é de que ela recue 0,5 ponto percentual, passando de 12,25% para 11,75%. Com isso, a taxa de juros do país poderá atingir o menor patamar desde março de 2022.

A decisão deve ser tomada durante a última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de 2023, marcada para esta quarta-feira, 13.

O que é taxa Selic?

  • O nome Selic é a sigla para: Sistema Especial de Liquidação e de Custódia;
  • É usada para controlar o nível de preços da economia.
  • Ela é definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil (BC) em reuniões que acontecem a cada 45 dias;
  • Em geral, ela pode ser aumentada ou reduzida pelo Copom para que a meta de inflação seja atingida.
  • A Selic serve como base para financiamentos, empréstimos, aplicações financeiras, entre outros.
  • Quando há perspectiva de um aumento da inflação, o BC aumenta a Selic. Isso faz com que o custo do dinheiro seja maior e a quantidade de moeda em circulação seja menor.
  • Por outro lado, se os preços estão mais controlados, o BC corta os juros para aceleração da economia, pois, o consumo acaba aumentando.

Redução da taxa de juros

  • Segundo o Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central, a Selic deve ser de 11,75%.
  • Na última terça-feira, 12, o presidente Lula reafirmou o desejo de que a taxa seja reduzida para o próximo ano.
  • De acordo com ele, a pressão deve ser feita pelos governadores.
  • Para 2024 as projeções apontam para uma taxa de 9,25%.
O que muda após queda da taxa de juros? Saiba o que fica mais barato (Imagem: FDR)
O que muda após queda da taxa de juros? Saiba o que fica mais barato (Imagem: FDR)

Impactos da queda da taxa de juros no Brasil

Essa redução tem algumas consequências para os brasileiros, entenda melhor quais são elas.

Operações financeiras

Como a taxa influencia diretamente as operações financeiras, pode ficar mais barato realizar algumas delas. Por outro lado, se a taxa está mais alta o empréstimo acaba saindo mais caro no bolso do brasileiro.

Por isso é tão importante observar essa variação antes de fazer a contratação de serviços financeiros, principalmente aqueles com um longo prazo para o pagamento.

Por exemplo, a contratação de um empréstimo seria mais vantajosa se a taxa estivesse entre 5% e 12%.

Consumo

Afinal, com os juros mais baixos os brasileiros são mais incentivados a pegar empréstimos, fazer financiamentos ou consórcios.

Por exemplo, em um cenário hipotético em que a taxa de juros passasse de 12% para 9% as parcelas do financiamento teriam menos juros, consequentemente o valor seria menor.

Com isso, a redução é benéfica para o consumidor, para a concessionária que vendeu o veículo e para a montadora que o fabricou. No fim, todos ganham.

Investimentos

Por outro lado, no quesito investimento o caminhar é na outra direção. Nesse caso, é interessante investir com a taxa mais alta, afinal, os rendimentos serão maiores. Isso vale tanto para os títulos públicos, quanto para outros produtos, incluindo aqueles relacionados à renda fixa.

Por outro lado, se a taxa for menor, os rendimentos também serão reduzidos, consequentemente o retorno pode não ser tão interessante para os investidores.

Nesse caso, um investidor mais “conservador” poderá fazer aplicações quando a taxa estiver em torno de 8% ao ano.

Investimento

Por fim, os investimentos também são impactados pela redução, afinal, com os juros mais baixos, tanto pessoas quanto empresas se sentem mais confiantes em fazer investimentos. Com isso, diversos setores são estimulados, consequentemente, a economia também é.

Em momentos com juros mais baixos uma opção interessante são os investimentos de renda variável, como ações, fundos imobiliários e ativos com menor potencial de risco.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.