McDonald’s é notificado pelo Procon e Ministério da Justiça; entenda

O Procon e o Ministério da Justiça se uniram em um pedido de explicações à rede de fast food McDonald’s. O intuito é obter esclarecimentos acerca da nova linha de sanduíches da empresa, o McPicanha. 

A ação, que conta com o apoio do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar), investiga a campanha feita pelo McDonald’s desde a inclusão do novo item no cardápio. As investigações consistem no fato de que a carne nobre não tem sido usada para confecção do sanduíche, apenas um molho com aroma natural de picanha. 

Se posicionando sobre o tema, o McDonald’s assumiu que os novos lanches não têm picanha. Porém, a empresa apenas esclareceu a divergência com o McPicanha após uma publicação do blog Coma Com os Olhos, que mencionou a intenção de entrar com uma representação contra uma possível propaganda enganosa. 

Neste sentido, o Procon pediu que o McDonald’s apresente a tabela nutricional composta por todos os ingredientes utilizados no sanduíche. A tabela deve possuir desde informações sobre a carne, molhos, aditivos e outros. 

Além de documentos que “comprovem os testes de qualidade realizados, demonstrando o processo de manipulação, acondicionamento e tempo indicado para consumo”, informou o Procon. 

O órgão ainda deseja a apresentação dos gabaritos das embalagens usadas no acondicionamento dos produtos nas lojas físicas para consumo imediato e também para entrega, bem como cópias dos materiais publicitários e das mídias de divulgação da linha de sanduíches comercializada em 2022. 

O Procon determinou que todos os esclarecimentos sejam apresentados até o dia 2 de maio. Enquanto isso, o Ministério deu um prazo de 10 dias para que a rede de fast food explique se o produto contém ou não picanha em sua composição, além da porcentagem e se houve alguma alteração no percentual do corte após a divulgação da linha de hambúrgueres.

“Na ausência, sendo o produto apenas ‘saborizado’, a empresa deve informar os ingredientes envolvidos na composição do hambúrguer e se de alguma forma o consumidor foi informado da falta de picanha”, disse a pasta.

De acordo com o ministério, se os questionamentos não forem realizados dentro do prazo, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) poderá dar entrada em um processo administrativo contra o McDonald’s. A consequência será a possibilidade de apreensão, suspensão e proibição do produto, multa ou cassação da licença do estabelecimento.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.