Cesta Básica: inflação gera aumento de preços de 20% em março; confira o ranking

A alta da inflação que chegou à casa dos dois dígitos no acumulado de 2021 atinge os preços cobrados por produtos e serviços por todo o país. Este impacto já chegou aos alimentos que compõem a cesta básica, ultrapassando a margem dos 20%.

Pelo menos, é o que diz um estudo realizado pelos professores do curso de economia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Antes de mais nada, é preciso entender que a alta dos preços é reflexo de um contexto muito maior, que sofre a pressão econômica provocada pela guerra entre Rússia e Ucrânia. 

O primeiro impacto notado no Brasil foi a alta no preço dos combustíveis, que se desdobrou em uma cadeia encarecendo os custos dos fretes, alimentos e demais produtos que dependem do transporte para chegar ao destino. Neste sentido, a inflação da cesta básica acelerou de 2,02% em fevereiro para 5,27% em março. 

Desta forma, a alta acumulada ao longo de 12 meses passou de 12,67% para 21,46%. É importante explicar que a variação mais recente equivale a quase o dobro do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No apanhado desses 12 meses concluídos em março, o índice acumulou uma inflação de 11,30%, a mais intensa desde outubro de 2003, que foi de 13,98%. 

Na visão do economista Jackson Bittencourt, coordenador do curso de economia da PUC-PR, a alta da cesta básica, na verdade, é resultado de uma combinação de vários fatores. O primeiro deles é a diversidade climática presente em determinadas regiões do país, como no Sul e Sudeste, que nos últimos meses enfrentaram extremos com chuvas e secas intensas. 

O resultado óbvio foi a perda das plantações em sua totalidade ou quase. Estes fenômenos extremos impuseram limites na oferta dos produtos, além de deixá-los mais caros, sobretudo aqueles que compõem a cesta básica.

Outro ponto importante que deve ser considerado é o fato de que o mês de março marcou a etapa inicial da guerra entre Rússia e Ucrânia, conforme mencionado.

No que compete aos alimentos, o primeiro impacto notado pelo Brasil com o início da guerra foi o aumento nas cotações do trigo, influenciando no encarecimento de alimentos como o pão francês, um dos componentes da cesta básica.

“Uma inflação acima de 20%, como a da cesta básica, impressiona. Afeta todos os brasileiros. Mas são as classes com renda mais baixa que sentem mais. Elas estão empobrecendo”, disse o economista. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.