Valor médio da Cesta Básica aumenta em até 4,5% em 7 cidades

Pontos-chave
  • Variação acumulada nos últimos 6 meses chega a 20% em Curitiba

O valor médio da cesta de consumo básica de alimentos de janeiro aumentou em relação ao mês anterior em sete das oito capitais analisadas mensalmente pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE, recém-lançada.

As maiores altas foram registradas em Belo Horizonte (4,5%), Curitiba (3,9%) e Salvador (1,8%), em relação aos valores de dezembro/21. Fortaleza apresentou leve retração de 0,4% no valor total da cesta básica enquanto Brasília ficou praticamente estável em relação ao mês anterior (0,1%).

Os produtos que mais contribuíram para o aumento do valor da cesta básica de Belo Horizonte foram legumes (20,3%), carne bovina (6,8%) e frutas (6,1%) enquanto em Fortaleza a redução deveu-se à queda no preço de carne bovina (-6,2%), Ovos (-3,0%) e Pão (-1,8%).

A cesta mais cara foi a do Rio de Janeiro (R$ 818,10), seguida pelas de São Paulo (R$ 776,12) e Fortaleza (R$ 690,59). Por outro lado, as capitais Belo Horizonte (R$ 544,01), Manaus (R$ 588,87) e Brasília (R$ 634,12) registraram os menores valores.

Os grupos de produtos que apresentaram aumento de preço mais expressivo na cesta básica, e em quase todas as capitais, foram os legumes (representados por batata, cebola e cenoura), seguidos de carne bovina, café e farinha de mandioca.

Os legumes continuam seguindo a trajetória de alta, apresentando preços em elevação em 7 das 8 cidades, pressionados pelo aumento de preço da batata e da cebola, que tem sido impactado por fatores climáticos que prejudicaram a colheita.

A alta no preço da carne bovina tende a ser reflexo do aumento da demanda das festas de fim de ano e do término do embargo das exportações de carne bovina brasileira. A escassez hídrica do ano passado também vem contribuindo para o aumento do preço da carne, tendo prejudicado as lavouras de milho e soja e pastagens, usadas na alimentação do gado.

Os problemas climáticos também têm sido o principal motivo de aumento do café, devido à quebra de safras e consequente redução da oferta no mercado. Além disso, o aumento dos preços internacionais e a valorização do dólar têm sido um incentivo para exportação, empurrando ainda mais para cima os preços no mercado interno.

Alguns produtos também apresentaram redução de preço. É o caso do arroz, frango, linguiça, que apresentaram queda no preço médio em diversas capitais, além da manteiga e ovos.

A variação acumulada no valor da cesta básica, nos últimos 6 meses, foi diferente entre as capitais, variando de 1,5% em Belo Horizonte e alcançando 19,9% em Curitiba.

Quando se considera a cesta de consumo ampliada, que inclui bebidas e produtos de higiene e limpeza, além de alimentos, houve um aumento no valor médio em seis das oito capitais analisadas, em relação ao mês anterior. As capitais que apresentaram valores mais altos da cesta ampliada foram Rio de Janeiro (R$ 1.675,64), São Paulo (R$ 1.626,70) e Brasília (R$ 1.419,88). As maiores altas no valor da cesta ampliada foram registradas em Salvador (2,5%), Curitiba (2,4%) e Belo Horizonte (1,2%). Por outro lado, Brasília e Fortaleza apresentaram leve retração no valor da cesta ampliada.

Na cesta ampliada, destaca-se a elevação de preços de alguns produtos de higiene e de limpeza, como amaciantes de roupa e sabonete. Além do aumento do dólar, que vem impactando nos insumos utilizados na produção desses artigos, a elevação no preço do petróleo e derivados impacta diretamente nos custos de fabricação de produtos da indústria química. Foram verificados aumentos também em enlatados e conservas, azeite e verduras em algumas capitais, como mostra a tabela abaixo.

Obs: No mês de janeiro/22, a metodologia de cálculo dos preços médios foi aprimorada, com atualização da estrutura de ponderação adotada. Diante disso, os valores das cestas dos meses de 2021 foram recalculados, para permitir comparabilidade com os valores referentes a janeiro/22.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Victor Barboza
Editor-chefe do portal de notícias FDR. É responsável por toda a apuração e compartilhamento de informações, sempre presando pela qualidade e independências das notícias veiculadas. Especialista em finanças. Possui MBA em Gestão de Negócios pela USP e Graduação em Gestão Financeira pela Estácio. Possui especializações e trabalhos acadêmicos nas áreas de educação financeira, investimentos, fintechs, gestão empresarial e psicologia econômica. É fundador da GFCriativa e Co-Fundador da Fincatch. Trabalhou com gestão financeira nas startups Tendere e Strategy Manager.