Em ano eleitoral, reajuste de governadores aos servidores gera polêmica; entenda

2022 é ano eleitoral, com isso, os políticos tentam colocar em prática os últimos recursos para ficar ‘bem na fita’ visando uma reeleição. E foi o que a maioria dos governadores fez ao conceder um reajuste salarial aos servidores públicos, atitude polêmica para muitos. 

Em ano eleitoral, reajuste de governadores aos servidores gera polêmica; entenda
Em ano eleitoral, reajuste de governadores aos servidores gera polêmica; entenda. (Imagem: FDR)

O foco desta ação ficou um pouco disperso ao analisar o cenário geral, embora tenha sido, praticamente, uma decisão unânime entre os governadores eleitos no Brasil. De maneira que, enquanto alguns decidiram promover o aumento salarial para todos os servidores do âmbito estadual, outros acharam melhor beneficiar categorias exclusivas.

Assim, praticamente todos os governadores do país terão algum ativo para apresentar em ano eleitoral. Dos 27 chefes dos executivos estaduais, 26 já recorreram a esta iniciativa ou propuseram a ampliação do rendimento dos servidores de algum modo. 

No geral, a estimativa de custo desta ação gira em torno de R$ 28 bilhões aos cofres públicos. Destacando que o aumento salarial dos servidores públicos se tornou um assunto polêmico há alguns meses em virtude da fala do presidente da República, Jair Bolsonaro. 

O chefe do Executivo federal prometeu fazer um reajuste exclusivamente na remuneração dos agentes de segurança pública, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, e outros de setores semelhantes. A promessa causou revolta em outras categorias, tendo em vista que, no mesmo instante, várias pastas eram surpreendidas por cortes na verba anual. 

Esta situação se agravou em alguns órgãos, a começar pela Receita Federal, após auditores fiscais entregarem os postos por não concordarem com o ocorrido. Outros do mesmo órgão entraram em greve, protesto que se estendeu ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). 

Agora, no caso do aumento no salário de servidores por decisão dos governadores, até o momento, 16 reajustes já foram confirmados, dois apenas aguardam a sanção do chefe do Executivo e outros oito continuam em trâmite nas Assembleias Legislativas. A unidade federativa do Tocantins foi a única onde nenhuma proposta igual ou semelhante foi apresentada. 

A maior parte dos estados decidiu conceder reajustes na margem de 10%, patamar similar ao da inflação fixada em 2021. Porém, na prática os valores variam entre 3% no Paraná e, 36,5% aos servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Rondônia (Detran), após quase dez anos sem ter o salário ajustado. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.