‘Dinheiro esquecido’: confira o passo a passo para sacar valores

Diante da ampla adesão dos cidadãos brasileiros em buscarem informações sobre o ‘dinheiro esquecido’, o Banco Central (BC) decidiu publicar um passo a passo para auxiliar as pessoas neste processo e esclarecer qualquer dúvida que possam ter.

Estes valores se referem a saldos abandonados em contas bancárias, além de benefícios como o abono salarial, prêmios de loterias, ações judiciais e muito mais.

Segundo informações do BC, cerca de 114 milhões de pessoas físicas e 2,7 milhões de pessoas jurídicas já acessaram o site de consultas criado pela entidade para verificar se existe algum ‘dinheiro esquecido’.

Do total de buscas, 25,9 milhões de pessoas físicas e 253 mil pessoas jurídicas foram positivamente surpreendidas pela possibilidade de resgatar algum saldo. Quem ainda tiver dúvidas, basta acessar o site: valoresareceber.bcb.gov.br.

Na circunstância dos cidadãos que tiverem ‘dinheiro esquecido’, ao acessar o site eles serão informados sobre a data e horário em que deverão retornar à plataforma para agendar a retirada dos valores. Contudo, será obrigatório ter uma conta no nível prata ou ouro no portal Gov.br.

As pessoas com conta bronze têm a chance de elevar o nível para prata ao fazerem o acesso usando os dados de conta bancária vinculada a um dos bancos credenciados pelo Governo Federal.

Também é importante estar ciente sobre o calendário de liberações. Isso porque, o processo de liberação de ‘dinheiro esquecido’ funciona da seguinte maneira, as pessoas nascidas antes de 1968 ou que abriram uma empresa antes deste período, terão a chance de tomar conhecimento sobre os saldos e solicitar o resgate entre o período de 7 a 11 de março na mesma plataforma de busca.

Conforme informado acima, ao realizar a busca serão dadas as instruções sobre data e horário para o agendamento. Logo, quem perder o horário deverá se atentar à repescagem prevista para o sábado seguinte, dia 12 de março, entre 04h e 24h.

O segundo grupo de busca dos valores esquecidos é composto pelos cidadãos nascidos entre 1968 e 1983, bem como empresas consolidadas neste período. Neste caso, o prazo de resgate será entre 14 e 18 de março e a repescagem no dia 29 de março, em ambos os prazos o horário é o mesmo já informado anteriormente.

Por fim, o último grupo apto a resgatar ‘dinheiro esquecido’ é aquele composto por nascidos em 1984 em diante ou que abriram empresa neste ano.

A data de agendamento para resgate desse grupo será entre 21 e 25 de março e a repescagem no dia 26 de março. Tanto a data original quanto a de repescagem permitirá os resgates no mesmo horário, das 04h às 24h.

Se ainda assim o cidadão perder a data de repescagem, uma nova solicitação poderá ser feita a partir do dia 28 de março, independentemente da data de nascimento ou criação da empresa.

Neste sentido, o Banco Central informou que de toda maneira, não há com o que se preocupar, pois mesmo se as pessoas não se atentarem às datas informadas, os valores permanecerão guardados nas respectivas instituições até que o saque seja solicitado.

Ressaltando que, feito o pedido de saque, a instituição financeira tem o prazo de até 12 dias úteis para liberar o dinheiro por meio de transferência bancária para conta a ser informada. Nesta primeira fase de liberações, por exemplo, uma quantia de R$ 3,9 bilhões em ‘dinheiro esquecido’ será paga.

No mês de maio uma outra rodada de consultas entrará em vigor, disponibilizando mais R$ 4,1 bilhões. Confira detalhadamente o passo a passo para a retirada de valores a seguir:

  • Passo 1 – Acessar o site de consulta na data e período informado para saque do primeiro período. Quem se esquecer deve aguardar até o dia 7 de março;
  • Passo 2 – Fazer login na plataforma Gov.br através de conta nível prata ou ouro. Quem não possuir conta junto ao Governo deve criar um cadastro e, de preferência, fazer o acesso usando os dados bancários para atingir o nível prata. Não é recomendado criar a conta e elevar o nível no dia de agendamento do resgate;
  • Passo 3 – Leia e aceite o termo de responsabilidade;
  • Passo 4 – Verifique o valor a receber que será devolvido pela instituição de origem;
  • Passo 5 – Clique na opção indicada: “Solicitar por aqui”. A instituição financeira não irá oferecer a devolução via PIX. O usuário deverá entrar em contato pelo telefone ou e-mail informado para combinar a forma de retirada.

É crucial que o usuário se atente às informações sobre os valores a receber. Além do mais, o cidadão deve consultar os canais de atendimento da instituição clicando no nome dela.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.