Tem roupas paradas no armário? Renner lança plataforma para venda de roupas usadas

A empresa Renner lançou a plataforma digital Repassa para a venda de roupas usadas. A maior varejista de moda omni do Brasil adquiriu a ferramenta no mês de julho de 2021. Com isso, passou a revender roupas, calçados e acessórios.

Com a compra do Repassa, a loja Renner implantou pontos físicos próprios para distribuição e recebimento de produtos em bom estado de conservação encaminhada para a revenda. O primeiro ponto foi inaugurado no fim de agosto, no Boulevard Shopping do grupo Aliansce Sonae, em Belo Horizonte (MG).

O segundo quiosque foi inaugurado em dezembro e fica localizado em outra unidade da Aliansce Sonae, no estado de São Paulo. A iniciativa é uma parceria entre a Renner e o grupo Aliansce Sonae que possui 29 shoppings próprios no Brasil e 11 pontos administrados.

Com a parceria será possível ampliar as operações do Repassa, aumentando a integração entre os meios digital e físico. A iniciativa está baseada, segundo a loja Renner nos pilares de sustentabilidade, consumo consciente e economia circular que embasam as ações da empresa.

As chamadas “Sacolas do Bem” visam, segundo o Repassa, “estender o ciclo de vida útil de produtos de qualquer marca com impactos sociais e ambientais positivos em toda a cadeia de moda”, diz o CEO e fundador da plataforma, Tadeu Almeida.

Com isso, os usuários do Repassa terão novos canais para revender seus produtos de vestuário, calçados e acessórios. Sendo assim, além desses dois pontos físicos, a previsão é ampliar, gradualmente, o modelo para outras cidades do país.

Após dois meses da criação do quiosque do Boulevard Shopping em Belo Horizonte, foi registrada uma média semanal de 400 pessoas atendidas e de quase 30 mil peças recebidas. Todos os produtos são encaminhados ao centro de distribuição da empresa nas cidades de São Paulo e Jundiaí.

O sucesso da empresa se faz devido ao sistema adotado de revende. Diferente de outras plataformas, essa realiza a curadoria e o controle de qualidade das mercadorias e é responsável por toda a jornada dos clientes.

Sendo assim, faz a precificação, produção de fotos e catálogos, logística e entrega das peças. Após a venda, o valor recebido é disponibilizado aos vendedores na própria plataforma.

O valor também pode ser transferido para conta corrente ou usado no próprio site da empresa. Outra opção é usar o dinheiro recebido em doações para organizações sociais, assim como os produtos reprovados no processo de curadoria.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.