Pandemia alterou os hábitos de consumo de 72% dos brasileiros, diz FecomercioSP

Por conta da pandemia, diversas pessoas tiveram suas vidas mudadas. As medidas restritivas fizera com que os setores da sociedade tivessem que se adaptar. Segundo uma pesquisa feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), 72% dos brasileiros tiveram mudanças nos hábitos de consumo nos últimos seis meses.

FecomercioSP afirma que a pandemia alterou os hábitos de consumo de 72% dos brasileiros
FecomercioSP afirma que a pandemia alterou os hábitos de consumo de 72% dos brasileiros (Imagem: Negative Space/Unsplash)

Por conta das dificuldades causadas pela pandemia, 22% dos entrevistados na pesquisa afirmaram que tiveram redução no consumo de bens essenciais. A maioria dos consumidores relatou que o motivo do corte dos gastos foi devido à diminuição da renda.

A limitação social fez com 42% das pessoas passassem a praticar atividades físicas em maior escala dentro do lar. Outra mudança significativa foi que 72% cozinharam mais em casa.

Entre os setores apontados, o que teve maior redução de compras foi do de roupas e calçados, com 42%. Além desse, os outros dois que tiveram cortes foram o de viagens a turismo, com 30%, e atividades físicas, com 27%.

Compras online

Como reflexo do isolamento, o e-commerce passou a ser mais utilizado pelo brasileiro. A pesquisa revela que o comércio virtual teve maior uso em 46% dos consumidores.

Na divisão de faixas de renda, 41% desses usuários de compras online possuem renda de até um salário mínimo. Já entre os que possuem renda acima de dez salários mínimos mensais, o número é de 39%.

Com relação às compras de alimentos, o FecomercioSP indicou que 64% dos consumidores com idades entre 18 e 35 passaram a solicitar esse tipo com mais regularidade.

Projeção após a pandemia

Sobre o consumo online, 47% dos participantes afirmaram querer seguir pedir comida pelas plataformas virtuais, da mesma forma que faziam antes do isolamento.

Entre as pessoas que recebem até um salário mínimo, 57% realizarão compras de roupas e calçados após o isolamento social. Para quem recebe de um a dois salários mínimos, 48% pretendem adquirir eletrodomésticos e eletroeletrônicos.

Com relação aos que possuem renda acima de dez salários mínimos, o desejo de 45% seria de viajar.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.