Brasil terá sistema online de cartórios; saiba como vai funcionar e quando começa

Uma Medida Provisória (MP) foi editada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 28. Trata-se da criação de um sistema online de cartórios, denominado por Sistema Eletrônico de Registros Públicos (Serp), cujo objetivo é digitalizar tanto o acervo quanto os serviços dos cartórios de todo o país. 

A MP já está válida desde esta terça, mas ainda precisa ser analisada e aprovada pelo Congresso Nacional dentro de 60 dias para passar a vigorar a caráter conclusivo. A partir daí, o sistema online de cartórios possibilitará o atendimento virtual por meio do acesso remoto de todas as informações referentes às garantias de bens móveis e imóveis. 

De acordo com a MP do Governo Federal, “documentos e títulos poderão ser enviados em formato eletrônico para registro por meio de ponto de acesso único na internet. Da mesma forma, serão expedidas certidões e fornecidas informações pelos cartórios de registros públicos via on-line” completou. 

A MP ainda estabelece a interconexão das serventias dos registros públicos, além das bases de dados de cada cartório, fazendo com que o Brasil saia de um sistema cartorial local para um sistema no âmbito nacional. 

Pelo menos, este é o entendimento do secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida. Por fim, a MP ainda prevê a regulamentação de todo o sistema através da Corregedoria Nacional de Justiça do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Uma das principais expectativas do Governo Federal quanto ao sistema online de cartórios é impulsionar o mercado de crédito a partir da digitalização e unificação das informações e registros públicos em cartórios.

Desta forma, as empresas terão a oportunidade de utilizar títulos de créditos e receber uma série de bens móveis como garantias em empréstimos, amenizando o custo das operações. 

Ao modernizar os registros públicos e elevar a segurança jurídica, o sistema online de cartórios também reduzirá a taxa de juros, aumentando a oferta de crédito na economia. Assim, é possível obter um crescimento econômico sustentável de longo prazo, bem como uma melhoria nos princípios econômicos. Por esta razão a medida é tão importante para todos. 

Segundo o secretário, a medida cumpre mais uma das tantas recomendações da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), grupo composto por 36 países, incluindo algumas das principais economias desenvolvidas em todo o mundo, como os Estados Unidos da América (EUA), o Japão e a União Europeia. 

“A própria OCDE recomenda que você tenha todas as informações de garantias em um único local, que é o que nós estamos fazendo”, concluiu.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.