Pescoço, rim e bofe são carnes mais compradas após alta dos preços

A carne é um dos produtos que mais sofreram reajuste, devido à alta dos preços. Por esse motivo, muitos brasileiros estão fazendo substituições ou deixando de consumir a proteína. Diante desse contexto, carnes de segunda e terceira, assim como miúdos e vísceras passaram a fazer parte dos carrinhos do supermercado.

Com a alta dos preços, em todos os setores, os consumidores estão trocando carnes nobres de boi e frango por cortes mais baratos. Com isso, cortes como acém, miúdos, pé e pescoço de frango estão entrando na lista de supermercado.

Os ovos também são itens que têm substituído às carnes nobres no dia a dia. Diante disso, os proprietários de açougues e mercados afirmam que o bife de primeira, como contrafilé, alcatra, filé mignon, assim como peito e coxa de frango estão perdendo espaço.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), a partir do mês de agosto deste ano, a procura por carnes de dianteira ultrapassou chegou a 34,6%, enquanto 28,8% da população continuaram comprando as peças nobres.

Segundo a Abras, o frango congelado teve uma alta na demanda de 38,1%. Essa peça é vendida por inteira, com miúdos, pés e pescoço. Porém, o item que mais esteve presente no carrinho do supermercado entre janeiro e agosto foi o ovo.

De acordo com os dados da Abras : 19,1% da população compraram ovos como fonte de proteína para a família, 14,6% optaram pelo frango congelado, 14,1% por carnes bovinas de segunda e terceira e, apenas, 7% da população continuou comprando carne de primeira.

A Abras também identificou que as carnes de segunda e as de terceira foram duas vezes mais consumidas do que os cortes nobres. Segundo o vice-presidente da associação, “Sempre que acontece uma alta no preço de um produto, o consumidor migra para outro parecido e mais barato”.

Com a migração para o consumo de cortes de segunda e terceira, esses itens também tiveram alta dos preços, já que a demanda cresceu. Dessa maneira, frangos, suínos e ovos tiveram altas de 29%, 8,1% e 17,9% respectivamente, conforme o IPCA dos últimos 12 meses.

Por esse motivo, os consumidores fizeram mais uma migração e agora a cesta básica da família é composta por pé de frango, pescoço e miúdos. Entre os miúdos estão: moela, fígado, rim e bofe (pulmão).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.