O que os caminhoneiros querem para evitar paralisação nesta segunda-feira (1)?

Em entrevista concedida à Folha de S. Paulo, líder dos caminhoneiros, reforçam a chance de termos uma greve nacional da categoria. “Não há chance de recuo”. Isso porque, o governo não se mostrou favorável as exigências da classe. 

Pedidos dos caminhoneiros para evitar paralisação nacional nesta segunda-feira (1)
Pedidos dos caminhoneiros para evitar paralisação nacional nesta segunda-feira (1) (Imagem: FDR).

Wallace Landim, presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), afirmou não ter possibilidade da classe recuar da ideia de uma paralisação, marcada para segunda-feira (1) se o governo Bolsonaro não sinalizar mudanças referentes aos preços dos combustíveis. 

Segundo pesquisa realizada pela Fretebras, pelo menos 60% dos caminhoneiros são a favor da paralisação, 54% da categoria deve aderir e paralisar os serviços na próxima segunda-feira. Mesmo diante da tentativa do governo de gerar desistência dos trabalhadores com a criação do “vale-diesel”

Preço dos combustíveis

Os reajustes nos preços dos combustíveis seguem o mercado internacional, desde o governo do ex-presidente Michel Temer. Na última terça-feira (26), mais um aumento foi decretado.

A gasolina que deve subir 7% nas refinarias já acumula uma alta de 73% no ano. O diesel vai subir 9%, acumulando alta de 65,3%.

“Isso mostra um andamento totalmente contrário àquele pelo qual estamos lutando. Estamos brigando por estabilidade no combustível, no gás de cozinha, para colocar em vigor leis já aprovadas, e é isso que a Petrobras faz”, disse Wallace Landim à Folha de São Paulo. O presidente da Abrava falou ainda sobre como o aumento dos preços afeta diretamente motoristas de aplicativos e que existe uma conversa para unir a categoria à mobilização.

As reuniões entre a categoria e o governo federal marcadas para a semana  foram canceladas. Em resposta à movimentação dos caminhoneiros, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmaram que a privatização da Petrobras “entrou no radar”.

Guedes declarou inclusive que em três décadas a empresa “não valerá nada” e que esse era um motivo para ser vendida agora.

Auxílio Diesel

Durante a última semana, Bolsonaro anunciou o “Auxílio Diesel” no valor de R $400 que deve contemplar cerca de 750 mil caminhoneiros até o fim de 2022. A medida não teve o efeito esperado, a categoria considera a bolsa insuficiente, não sendo capaz de desmobilizar a classe caminhoneira. 

Segundo Wallace, os caminhoneiros se encontram hoje em uma situação ainda pior do que a vivida em 2018. A orientação é para que a partir da próxima segunda-feira a categoria para com o serviço.  

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!