Quilo da carne fica acima de R$ 40 e reflete na mesa dos brasileiros

Comprar carne está se tornando uma realidade cada vez mais distante para grande parte dos brasileiros. Com os preços sempre em elevação da carne bovina, os consumidores estão buscando alternativas para as refeições e o ovo está sendo mais consumido do que nunca no país. 

Quilo da carne fica acima de R$ 40 e reflete na mesa dos brasileiros
Quilo da carne fica acima de R$ 40 e reflete na mesa dos brasileiros (Foto: Daniel Castellano / AGP / Agência de Notícias Gazeta do Povo)

O brasileiro comeu em 2020, cerca de 251 ovos. Esta quantidade expressiva é decorrente do aumento descontrolado da carne, a queda no poder de compra e as mudanças de hábitos originadas na pandemia.

Este consumo de ovo é recorde. Há vinte anos atrás, o brasileiro consumia cerca de 94 unidades por ano de ovo. Dez anos atrás, esta quantidade cresceu para 148 ovos. Já atualmente, o brasileiro está comendo mais ovo do que a média mundial que é de 230 ovos ao ano.

Além da crise causada pela pandemia, o motivo deste consumo de ovo é o aumento de cerca de 30% no preço da carne bovina nos últimos 12 meses. Hoje os consumidores encontram cortes que não são considerados “nobres” por mais de R$ 40 o quilo.

Suspensão da exportação de carnes na Argentina pode prejudicar o Brasil

Alberto Fernández, presidente da Argentina, suspendeu por um período de 30 dias toda a exportação de carne bovina do país. Esta é uma tentativa de abaixar os preços altos do alimento no país e conter a inflação.

A decisão foi tomada de forma emergencial pelo governo na última segunda, 18, e recebeu criticas dos produtores de carne na Argentina.

As associações rurais entraram em greve hoje, 20, e suspenderam temporariamente as vendas de gado para corte.

A suspensão das exportações de carne também devem impactar os frigoríficos brasileiros que atuam na Argentina. Na tarde de ontem, a Marfrig disse em nota remetida à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que as operações da empresa na Argentina respondem por 3,2% da receita liquida consolidada no primeiro trimestre de 2021.

Exportações

A Argentina é o quinto maior exportador de carne bovina do planeta e as vendas do país cresceram no último ano, acompanhando o crescimento da demanda da China. No mês de março, as exportações para a China cresceram 8,3% em comparação com o mesmo mês de 2020.

No ano passado, a Argentina exportou 897 toneladas de carne, com um montante equivalente U$$2,7 bilhões, segundo dados oficiais. Deste total, mais da metade teve a China como destino final.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Quilo da carne fica acima de R$ 40 e reflete na mesa dos brasileiros

×
Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA