Adiado! Por que o governo não fez o lançamento do Auxílio Brasil?

Governo federal suspende lançamento de seu novo projeto social. Nessa terça-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro iria realizar uma cerimonia para oficializar o Auxílio Brasil. O evento, no entanto, foi cancelado, pois ainda não está claro como a folha orçamentária irá ser repassada.

Adiado! Por que o governo não fez o lançamento do Auxílio Brasil? (Imagem: FDR)
Adiado! Por que o governo não fez o lançamento do Auxílio Brasil? (Imagem: FDR)

A concessão do Auxílio Brasil tem dado o que falar na imprensa nacional. Após meses em debate, o presidente finalmente iria lançar oficialmente o projeto.

No entanto, voltou atrás na decisão devido aos impactos de tal instabilidade na Bolsa de Valores. A previsão é de que uma nova cerimonia aconteça ao longo dos próximos dias.

Auxílio Brasil tem valor novamente reajustado

A novidade confirmada pelo chefe de estado é de que a mensalidade de R$ 300 subirá para R$ 400 por segurado. Desse modo, se estabelece o encerramento definitivo do Bolsa Família e o governo pontuou que não irá respeitar o teto de gastos, uma vez em que o orçamento do novo programa ultrapassa as limitações do Congresso.

O principal motivo de adiamento do anuncio, de acordo com fontes internas, se deu justamente pelo fato de que não está claro o desenho jurídico que irá permitir o pagamento da parcela de R$ 400.

O ministro da economia, Paulo Guedes, sugeriu a elaboração de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que deverá limitar o pagamento dos precatórios de modo que gere um orçamento maior para o custeio do novo projeto.

A sugestão de Guedes deverá ser analisada ainda essa semana pela comissão da Câmara dos Deputados para na sequencia ser anunciado o funcionamento do programa.

Quem terá direito de participar do Auxílio Brasil

  • Famílias com renda mensal por pessoa até RS$ 89: classificação de extrema pobreza;
  • Famílias com renda mensal por pessoa entre RS$ 89,01 e RS$ 178: classificação de pobreza.

Documentos exigidos no cadastro

Para ser um beneficiário o cidadão precisa obrigatoriamente se vincular ao Cadastro Único, comparecendo presencialmente até uma unidade de assistência social para a entrega dos seguintes documentos:

  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento;
  • CPF;
  • RG;
  • Carteira de Trabalho;
  • Título de Eleitor;
  • Registro Administrativo de Nascimento Indígena (Rani).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.