Bolsonaro se compromete a solucionar altas no preço do diesel ainda nesta semana

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo deve resolver a questão sobre as altas no preço do diesel nesta semana. A declaração aconteceu nesta segunda-feira (18), durante evento do governo federal em São Roque de Minas (MG).

Bolsonaro alega que as soluções não são fáceis. Contudo, ele disse que o governo tem a obrigação de apresentar a origem do problema — e como solucionar. Apesar dessa declaração, o presidente não informou qual seria o plano do governo para buscar reduzir o valor do diesel.

No final de setembro, a Petrobras realizou uma alta de 9% no valor médio do diesel nas refinarias. Essa medida foi tomada depois de 85 dias de estabilidade. No acumulado anual, o preço médio do combustível da estatal conta com aumento de mais de 50% neste ano.

Além de comentar sobre o preço do diesel, Jair Bolsonaro afirmou que o governo também deverá solucionar, nesta semana, detalhes sobre a extensão do auxílio emergencial. Ele não confirmou qual será o valor da nova rodada do benefício.

Caminhoneiros ameaçam greve se não houver baixa no preço do diesel

A declaração de Bolsonaro acontece após ameaça de nova greve dos caminhoneiros. No último final de semana, três entidades nacionais de trabalhadores vinculados ao setor de transporte de cargas anunciaram o decreto de estado de greve.

Segundo as entidades, caso o governo não atendas as reivindicações que remontam à paralisação dos caminhoneiros em 2018, será iniciada uma greve nacional a partir de 1º de novembro.

Uma das principais reclamações dos motoristas tem sido o custo do diesel — que passou por diversos reajustes nos últimos meses pela Petrobras. Em encontro feito no Rio de Janeiro, a decisão foi tomada pelas seguintes entidades:

  • Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL), vinculada à CUT;
  • Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC); e
  • Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava).

Anteriormente, as três entidades já realizaram convocações de greve dos caminhoneiros. Em fevereiro e julho deste ano, por exemplo, houve a intenção de promover a paralisação. Apesar disso, a greve não teve a mesma proporção da realizada em 2018. Na ocasião, a paralisação nacional durou mais de 10 dias.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.