Ranking com a cesta básica mais barata e mais cara do Brasil

Pontos-chave
  • O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou o preço da cesta básica nos Estados brasileiros no mês de junho;
  • De acordo com a pesquisa, o preço da cesta caiu em 9 das 17 capitais brasileiras analisadas;
  • A cesta mais cara do país no mês de junho foi encontrada em Florianópolis, onde custava R$ 645,38;

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou o preço da cesta básica nos Estados brasileiros no mês de junho. Com isso, mostrou quais regiões possuem o valor do item mais alto e mais baixo.

Ranking com a cesta básica mais barata e mais cara do Brasil em junho
Ranking com a cesta básica mais barata e mais cara do Brasil (Imagem: Mehrad Vosoughi/Pexels)

A cesta básica é a lista com os alimentos básicos para manter a segurança alimentar das pessoas. Com isso, possui produtos com proteínas, ferro, cálcio e fósforo, com suas respectivas quantidades para garantir saúde e bem estar de uma pessoa adulta.

Dessa maneira, a cesta básica definida pelo Governo Federal em 1938 possui os seguintes itens: carne, leite, feijão, arroz, farinha, batata, legumes (tomate), pão francês, café em pó, frutas (banana), açúcar, banha/óleo e manteiga.

Com o intuito de definir o valor da cesta básica, três institutos fazem uma pesquisa nos supermercados todos os meses. As empresas são o Dieese, Procon-SP e Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Na última semana, a Dieese divulgou o resultado do valor da cesta básica no mês de junho. De acordo com a pesquisa, o preço da cesta caiu em 9 das 17 capitais brasileiras analisadas. Porém, nas demais cidades o preço subiu.

Cesta básica mais cara

As capitais que registraram os maiores aumentos no preço a cesta básica de um mês para o outro foram Fortaleza (1,77%), Curitiba (1,59%) e Florianópolis (1,42%). Porém, a cesta mais cara do país no mês de junho foi encontrada em Florianópolis, onde custava R$ 645,38.

Ranking com a cesta básica mais barata e mais cara do Brasil em junho
Ranking com a cesta básica mais barata e mais cara do Brasil em junho (Imagem: Governo do Ceará)

Diante disso, Florianópolis possui a cesta mais cara e que mais teve aumento de um mês para o outro. Porto Alegre ocupou a segunda posição com a cesta básica mais cara por R$ 642,31. O município de São Paulo ocupa o terceiro lugar com uma cesta de R$ 626,76.

Seguindo essas capitais estão o Rio de Janeiro R$ 619,24 e Curitiba R$ 618,57. De acordo com a pesquisa, no acumulado de seis meses, dez capitais brasileiras acumularam aumentos no custo da cesta. Porém, Curitiba foi registrado o maior acúmulo, com 14,47%, seguida por Natal, com 9,03%.

As demais cidades foram: Florianópolis, Porto Alegre, Vitória, Fortaleza, Belém, João Pessoa, Recife e Aracaju. Com base no preço da cesta básica de Florianópolis, o Dieese estimou que o salário mínimo ideal para o mês de junho de 2021 deveria ser de R$ 5.421,84.

Esse valor é 4,93 vezes maior que o atual piso nacional, sendo que para alcançar esse salário seria necessário o cidadão trabalhar por 111 horas e 30 minutos (média em 17 capitais).

Dessa maneira, a cesta básica compromete 54,79% em média do salário mínimo líquido para comprar os alimentos básicos para um adulto. Essa porcentagem foi estabelecida após o desconto do INSS.

Esse valor é definido com base em uma família composta por quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças. Diante disso, é estipulado que o gasto com alimentação deve ser menor que 50% dos recursos recebidos.

Sendo assim, apenas para alimentar as quatro pessoas da cada seria preciso ter disponível R$ 2.581,52. Sabendo que o atual salário mínimo brasileiro é de R$ 1.100 é notável que com esse valor não é possível garantir a segurança alimentar adequado para o desenvolvimento de uma pessoa adulta.

Queda no preço da cesta básica

A pesquisa feita pela Dieese também mostrou que algumas capitais apresentaram queda no preço da cesta básica comparado ao mês de maio. Os municípios que obtiveram as maiores quedas foram: Goiânia (-2,23%), São Paulo (-1,51%), Belo Horizonte (-1,49%) e Campo Grande (-1,43%).

Porém, o preço mais em conta da cesta foi encontrada em Salvador, tendo em média o valor de R$ 467,30. No acumulado de seis meses, sete capitais mostraram queda na cesta básica, tendo Belo Horizonte atingido a melhor situação, com – 6,42%.

As demais capitais com redução no preço da cesta básica no primeiro semestre foram: Salvador, Goiânia, Campo Grande, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Essa pesquisa mostra que a maior parte das capitais continuam tendo alta nos itens alimentares.

Essas altas são reflexos da crise econômica gerada pela pandemia de Covid-19. Isso ocorre devido à falta de mão-de-obra no mundo inteiro. Com isso, os produtos ficam escassos e passam a ter o valor aumentado.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, além de realizar consultoria de redação on-line.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA