Ainda não enviou declaração do IRPF? Veja como incluir extrato do INSS

Os contribuintes têm até a próxima segunda-feira (31) para enviar a Declaração do Imposto de Renda 2021. Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social que precisam fazer a declaração do IRPF, terão os dados informados por meio do extrato de rendimentos.

Ainda não enviou declaração do IRPF? Veja como incluir extrato do INSS
Ainda não enviou declaração do IRPF? Veja como incluir extrato do INSS (Imagem: montagem/FDR)

Os cidadãos que tiveram um rendimento tributável em 2020 superior a R$ 28.559,70 precisam fazer a declaração do IRPF. Dessa maneira, até mesmo os aposentados e pensionistas do INSS que obtiveram esse valor precisam declarar.

Para os aposentados e pensionistas é preciso ter em mãos o extrato de rendimentos do INSS para fazer a declaração do IRPF. É com esse documento que será possível informar os rendimentos do ano passado.

O extrato de rendimentos do INSS é disponibilizado pelo órgão no portal e aplicativo Meu INSS. Porém, para acessar é necessário estar cadastro no sistema.

Sendo assim, após baixar o aplicativo ou acessar o site será necessário informar alguns dados pessoais e sobre a vida profissional.

Criando o acesso, o segurado deve acessar o portal e buscar por extrato de rendimentos na aba de “Serviços”. Nessa área haverá a opção de “Extrato para Imposto de Renda”. Diante disso, basta o segurado indicar o ano-calendário que deseja, no caso, 2020.

Não é preciso indicar o regime de tributação. Isso porque, segundo o advogado tributarista, Leonardo Milanez Villela, o INSS é a fonte pagadora dos rendimentos dos aposentados e pensionistas e, portanto, é o responsável por essa ação.

O Instituto também é responsável pelo cálculo, retenção e coleta do o Imposto de Renda que incidem sobre os benefícios. Com esses dados, o beneficiário deve informar na declaração do IR 2021 as informações que constam no extrato de rendimentos.

É importante que o preenchimento da Declaração do IR seja feito com o máximo cuidado possível. Esse cuidado dobra ao ser um beneficiário do INSS, já que o órgão possui diferentes tipos de pagamentos.

É importante lembrar que o INSS paga benefícios que são considerados benefícios isentos, tributáveis e não tributáveis. Por esse motivo, o contribuinte deve seguir a classificação do rendimento informado pelo Instituto. Além disso, é crucial preencher cada verba na mesma categoria reportada no documento.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.