Bolsa Família prevê inscrição online, auxílio creche e independência de prefeituras

Pontos-chave
  • O atual governo pretende ampliar o benefício, contemplando mais beneficiários e pagando um valor maior;
  • O Novo Bolsa Família passará a ser pago após o fim do auxílio emergencial 2021;
  • Uma das primeiras afirmações feitas pelo presidente Bolsonaro foi que o Bolsa Família pagará R$ 250, em média.

O Bolsa Família foi criado em 2004 e desde então sofreu poucas mudanças. Como proposta, o atual governo pretende ampliar o benefício, contemplando mais beneficiários e pagando um valor maior. Além disso, pretende trazer outras mudanças, com a inscrição online.

Bolsa Família prevê inscrição online, auxílio creche e independência de prefeituras
Bolsa Família prevê inscrição online, auxílio creche e independência de prefeituras (Imagem: montagem/FDR)

No ano passado, o ministro da Economia apresentou um programa que visava substituir o Bolsa Família. A pedido do presidente Bolsonaro (sem partido) foi sugerido o Renda Brasil. Para custear Guedes defendeu o fim de diversos benefícios e o congelamento das aposentadorias e pensões do INSS.

A proposta não foi bem vista pela população e por outros parlamentares. Diante disso, o programa foi adiado para este ano. Porém, pouco tempo depois, o senador Márcio Bittar (MDB-AC) sugeriu o Renda Cidadã.

O programa também sofreu diversos ataques ao sugerir o uso dos precatórios e de parte do Fundeb. Após várias polêmicas, afetando a imagem do chefe do executivo, Bolsonaro cancelou as duas propostas e proibiu que os seus aliados tocassem no assunto.

Para tentar amenizar os ânimos, tanto dos parlamentares como da população, o presidente, por meio de suas redes sociais, afirmou que não iria tirar dinheiro do pobre para dar ao mais pobre. Além disso, garantiu o pagamento do Bolsa Família em 2021 e, ainda, afirmou que esse seria ampliado.

Diante disso, diversas suposições sobre a ampliação do Bolsa Família tem surgido. Bolsonaro já garantiu que as mudanças serão apresentadas em breve e que começarão a valer a partir de agosto ou setembro.

Dessa maneira, o Novo Bolsa Família passará a ser pago após o fim do auxílio emergencial 2021. É importante lembrar que o governo está sofrendo pressão para uma prorrogação das parcelas, devido ao aumento de casos de Covid-19.

Bolsa Família de R$ 250

Uma das primeiras afirmações feitas pelo presidente Bolsonaro foi que o Bolsa Família pagará R$ 250 para as famílias. Sobre isso, o Ministro Paulo Guedes também confirmou, mas esclareceu que esse valor será a média paga.

Atualmente, o programa contempla 14,6 milhões de famílias em situação de pobreza e extrema pobreza. O valor pago é variável, porém a média recebida é de R$ 190. Hoje, o Bolsa Família é composto por um valor fixo de R$ 89, e outros cinco benefícios variáveis, são eles:

  • Benefício para crianças e adolescentes de 0 a 15 anos: R$ 41;
  • Benefício para gestantes (duração de nove meses): R$ 41;
  • Benefício para nutrizes (crianças entre 0 a 6 anos): R$ 41;
  • Benefício variável jovem (adolescentes entre 16 e 17 anos – cada família pode acumular até dois): R$ 48;
  • Benefício de superação a pobreza: valor variável.

Diante disso, cada família pode acumular até cinco benefícios, com exceção do Benefício jovem. Por esse motivo, há famílias que recebem menos de R$ 100 e outras que recebem mais de R$ 300 por mês.

Bolsa Família e auxílio creche

Para o Novo Bolsa Família, o governo pretende apresentar outros benefícios. Com isso, o valor recebido pelas famílias que possuem crianças será ampliando. Sobre isso, já apareceram as seguintes possibilidades:

  • Auxílio-creche: R$ 52,00;
  • Bônus anual para o melhor aluno: R$ 200,00;
  • Bolsa mensal de R$ 100,00, mais um prêmio anual de R$ 1.000,00para o estudante destaque na área científica, tecnológica ou esportiva;
  • Prêmio anual de R$ 200 para os melhores estudantes.
Bolsa Família prevê inscrição online, auxílio creche e independência de prefeituras
Bolsa Família prevê inscrição online, auxílio creche e independência de prefeituras (Imagem: Pixabay)

O auxílio creche de R$ 52 foi muito criticado, pois o seu valor é incapaz de arcar com as despesas de seu propósito. Por esse motivo, o governo pretende liberar R$ 6 bilhões do Fundeb para bancar Voucher creche.

Com isso, a ideia é repassar R$ 250 para as famílias contempladas pelo Novo Bolsa Família que tenham crianças de 0 a 3 anos de idade. Em defesa da proposta o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirma que a medida não desvia os recursos destinados a educação.

Fim do CadÚnico

Outra sugestão apresentada pelo atual governo é acabar com a função das prefeituras nas inscrições do Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal para programas sociais. Com isso, será economizado o custo em segurança de dados e evitado as fraudes encontradas.

Diante disso, a proposta é que o próprio cidadão realize a sua inscrição, por meio de um aplicativo que será desenvolvido pelo governo em parceria com o CadÚnico. No app também será possível resolver problemas com os dados e consultar informações.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.