Privatização da Eletrobras deve causar aumento expressivo nas contas de luz

Conta de luz dos brasileiros pode ficar mais cara a depender da privatização da Eletrobras. Nessa quarta-feira (19), mais de 30 entidades do setor de energia se reuniram para debater o projeto que objetiva desvincular a empresa do setor público. A proposta foi analisada na Câmara dos Deputados e contou com recusas até mesmo do governo federal.

Privatização da Eletrobrás deve causar aumento expressivo nas contas de luz (Imagem: Reprodução/Exame)
Privatização da Eletrobrás deve causar aumento expressivo nas contas de luz (Imagem: Reprodução/Exame)

Uma das características da gestão do ministro da economia, Paulo Guedes, tem sido a privatização de uma série de estatais brasileiras.

O gestor já deixou claro seu interesse vender marcas como os Correios, Banco do Brasil, entre outros. Mas nesse momento a pauta da vez se tornou a Eletrobras.

Sobre o processo de privatização

O debate para que a Eletrobras deixe de ser de responsabilidade pública vem ocorrendo há semanas. No entanto, apenas nessa quarta-feira (19) é que parte significativa do setor produtivo se posicionou contra a decisão.

De acordo com eles, se a medida for efetivada haverá um aumento em grande escala no preço das contas de luz. Há previsão é de que a energia fique ao menos 8% mais cara para os pequenos consumidores.

Já para grandes empresas a despesa resultaria em um reajuste de 15%, o que justifica sua recusa.

O que diz o governo federal

Surpreendentemente, até mesmo agentes da equipe federal se mostraram contra a proposta. Muitos relataram que o texto inicial da MP foi alterado de modo que dificulte na entrada de investidores privados na empresa. Além disso, o setor de energia passaria a ficar limitado em suas comercializações.

Relator da proposta, Elmar Nascimento (DEM/BA) informou que a nova versão revisada contém uma série de mudanças já debatidas com os ministérios de Minas e Energia e Economia. Ele afirmou que nenhuma das edições irá gerar aumento na conta de energia.

“Pelo contrário, mais recursos irão para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) que ajuda a reduzir a conta de energia dos pequenos consumidores”, diz.

Até o momento não há previsão para a validação final da pauta. A proposta deve circular entre demais parlamentares e uma nova votação será feita até que a última versão de seu texto seja disponibilizada.

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.