Suspensão da prova de vida do INSS foi prorrogada para junho; confira novas regras!

Pontos-chave
  • INSS renova período para a realização da prova de vida;
  • Procedimento permanece suspenso devido a pandemia;
  • Grupo de segurados terão os benefícios cancelados pelo atraso.

Instituto Nacional do Seguro Social prorroga período para a realização da prova de vida. Diante da atual realidade de contaminação pela covid-19, o INSS informou que estará suspendendo a obrigatoriedade de atualização do cadastro anual. O procedimento, também congelado em 2020, foi retomado em fevereiro, mas agora ficará parado até maio.

Suspensão da prova de vida do INSS foi prorrogada para junho; confira novas regras! (Imagem: Google)

Há um ano vivenciando a pandemia do novo coronavírus, o Brasil segue com altos índices de contaminação em suas regiões. Com os governos estaduais retomando o lockdown, o INSS informou que irá remarcar a obrigatoriedade da prova de vida.

De acordo com o decreto liberado no Diário Oficial da União, dessa terça-feira (16), a população só precisará fazer as atualizações a partir de 1 de junho. Ou seja, até 31 de maio o procedimento permanece suspenso e não pode resultar no cancelamento dos salários de pensões e aposentadorias.

Sobre a prova de vida

Para os recém aposentados, é importante ficar atento. A prova de vida é uma das atividades obrigatórias do INSS que permite com que o segurado continue tendo acesso aos seus salários.

Uma vez por ano, na data de seu aniversário, o cidadão deve ir até uma agencia bancária apresentando um documento oficial com foto para comprovar que está vivo e recebendo o benefício.

Aqueles que ficam em atraso com o órgão, tem os salários suspensos temporariamente até que haja uma correção dos dados. Em uma instância, o INSS cancela definitivamente o pagamento, ficando o usuário descoberto da previdência.

Desse modo, é importante ressaltar que a realização da prova de vida depois de maio só poderá ser concedida para quem teve o procedimento barrado pela pandemia da covid-19. Ou seja, aqueles que já estavam desatualizados antes de março de 2020 não tem direito ao adiamento do prazo.

INSS trabalha para a digitalização do serviço

Com a falta de previsão para o fim ou controle da pandemia, o INSS passou a trabalhar na elaboração de uma ferramenta digital que funcione para a atualização dos cadastros dos segurados. O projeto está em sua fase piloto e já vem sendo testado por grupos específicos vinculados ao órgão.

A atualização digital será feita com base no trabalho de reconhecimento facial, feito diretamente pelo app do Meu INSS. Na ferramenta, o cidadão deve selecionar a função ‘prova de vida’ e na sequência apontar a câmera de seu celular para o seu rosto de modo que gere uma fotografia.

O registro contará com tecnologias de reconhecimento facial, permitindo com que o INSS use sua base de dados e confirme a titularidade do cidadão. A previsão é de que a digitalização do serviço fique disponível para todos a partir do mês de julho.

Nesse momento, o INSS vem enviando SMS para alguns segurados convidando-os para testar a plataforma. Basta clicar no link presente na mensagem e iniciar o procedimento.

Renovação e revisão dos salários

Para quem já teve o salário congelado por falta de atualização anteriormente a pandemia, é preciso entrar com um processo de revisão. O cidadão deve sinalizar ao INSS seu interesse em fazer a correção de seu registro.

O órgão analisará a proposta, revisará os dados previdenciários e na sequência dará um retorno sobre a aprovação ou não do novo pedido de concessão. Tendo em vista o congestionamento nos serviços do INSS devido a pandemia, a análise pode demorar mais que 120 dias.

Suspensão da prova de vida do INSS foi prorrogada para junho; confira novas regras! (Imagem: Google)

Retomada da prova de vida presencial

Ainda não há uma previsão exata quanto a realização do serviço em sua modalidade essencial. Uma vez em que o público alvo do INSS são pessoas de mais de 60 anos, há um grande risco de contaminação pela covid-19, tendo em vista que se trata do grupo de maior risco de contágio.

Dessa forma, o órgão deverá liberar novos informes sobre as demandas presenciais a depender do controle da doença. Diante da campanha de vacinação aplicada em todo o país, espera-se que ao menos as pessoas com mais de 70 anos consigam voltar a comparecer em suas agências.

Quem deve fazer a prova de vida?

Todo e qualquer segurado do INSS que receba salário referente a pensão ou aposentadoria ao longo dos últimos 12 meses ou mais.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA