Valor do auxílio emergencial foi definido em três faixas; veja quanto você pode sacar

Pontos-chave
  • Ministério da Cidadania confirme média de valor do auxílio emergencial;
  • Valor do auxílio emergencial irá variar entre R$ 175 a R$ 375;
  • Segunda rodada do auxílio emergencial deverá ser paga em quatro parcelas.

Nesta quinta-feira, 11, o Ministério da Cidadania confirmou que a média de valor do auxílio emergencial será na margem de R$ 250, devendo ser pago em quatro parcelas. A expectativa é para que o primeiro depósito seja efetuado ainda neste mês de março, assim que o texto for aprovado. Desta forma o último pagamento deverá ser em junho de 2021. 

Valor do auxílio emergencial foi definido em três faixas; veja quanto você pode sacar
Valor do auxílio emergencial foi definido em três faixas; veja quanto você pode sacar (Imagem: Google)

Embora o Ministério da Cidadania seja a pasta responsável por elaborar o cronograma de pagamentos, junto aos critérios de elegibilidade do benefício pago pela Caixa Econômica Federal (CEF), o Ministério da Economia atua em conjunto aos trâmites que dispõem sobre o auxílio emergencial.

Neste sentido, na última segunda-feira, 8, o ministro da Economia, Paulo Guedes, comunicou que as parcelas terão valores variáveis entre R$ 175 a R$ 375.

“A Cidadania trabalha na conclusão dos detalhes da medida provisória e aguarda a tramitação da PEC na Câmara. Após a finalização desses processos, os pagamentos terão início o mais breve possível. O valor médio deverá ser de R$ 250, em quatro parcelas”, declarou o Ministério da Cidadania.

É importante mencionar que o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição, a PEC do auxílio emergencial, que dispõe sobre a concessão de R$ 44 bilhões para custear a nova fase do benefício, foi apreciada e aprovada em segundo turno na Câmara dos Deputados nesta quinta-feira, 11.

Entretanto, até o início da noite de ontem, os parlamentares continuaram estudando e analisando a possibilidade de retirar alguns trechos do texto.

Na oportunidade, o Ministério da Cidadania reforçou que todo o processo de cadastramento dos beneficiários realizado no início de 2020, foi capaz de identificar aqueles trabalhadores informais “invisíveis”.

Isso porque, o cruzamento constante de dados junto às medidas de controle e fiscalização com o objetivo de evitar depósitos indevidos, possibilitam que o novo auxílio emergencial seja certeiro ao contemplar exclusivamente as famílias vulneráveis. 

Auxílio emergencial em 2020

Criado no mês de março de 2020 pelo Congresso Nacional, diante da urgência resultante dos impactos socioeconômicos causados pela pandemia da Covid-19, o auxílio emergencial começou a ser pago no mês de abril.

Primeiramente foram disponibilizadas três parcelas no valor de R$ 600 para o público geral, com exceção do caso específico das mães solteiras provedoras de famílias monoparentais, as quais tiveram direito ao benefício no valor de R$ 1.200.

Neste período, as pastas competentes se mobilizaram e aprovaram a prorrogação do auxílio emergencial por mais dois meses, seguindo a mesma proposta. 

Desta forma, durante este período de cinco meses, cada família brasileira estava autorizada a receber até duas cotas do auxílio emergencial, sendo uma referente à mãe chefe de família junto a outro membro desempregado, totalizando a quantia de R$ 1.800

Posteriormente, ao observar  e analisar com cuidado, notou-se que a situação da pandemia no país ainda não havia tido nenhuma evolução, decidiu-se prorrogar o benefício mais uma vez, concedendo o auxílio emergencial residual em quatro parcelas no valor de R$ 300, sendo que as mães chefes de família monoparental tiveram direito a receber a quantia dobrada, ou seja, R$ 600.

Na primeira fase do auxílio emergencial concedido no ano de 2020, o Governo Federal fez um investimento na marca de R$ 294,3 bilhões, que foram capazes de contemplar 68 milhões de beneficiários. 

Auxílio emergencial em 2021

A segunda fase do auxílio emergencial que, ao que tudo indica será aprovado e acontecerá neste ano de 2021, seguirá os mesmos requisitos do modelo original.

A diferença é que o valor médio desta rodada será de R$ 250, podendo o Governo Federal conceder quantias inferiores ou superiores a essa base, dependendo do perfil do beneficiário.

Neste sentido, as mães chefes de família monoparentais poderão receber até R$ 375, enquanto os beneficiários solteiros e sem filhos deverão ser contemplados com um benefício no valor de R$ 175.

Lembrando que se a PEC do auxílio emergencial for aprovada ainda este mês, os valores serão depositados nos meses de março, abril, maio e junho.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.