Governo confirma ESTAS medidas mais restritivas na fase emergencial em SP

Nesta quinta-feira, 11, o governador do Estado de São Paulo, João Dória (PSDB), fez um comunicado sobre a adesão de medidas mais rígidas em combate à pandemia da Covid-19 através da criação do Plano SP. Uma das medidas modificadas se refere ao toque de recolher que foi ampliado, tendo duração entre 20h e 5h

Governo de SP confirma quais as medidas mais restritivas no plano SP
Governo confirma ESTAS medidas como mais restritivas no plano SP (Imagem: Reprodução/Google)

De agora em diante também ficam suspensas todas as atividades esportivas realizadas em conjunto, bem como a celebração de cultos religiosos pelo período de 15 a 30 de março.

Além do mais, as escolas de rede de ensino público do Estado terão o recesso previsto para acontecer no mês de julho, antecipado para a próxima segunda-feira, 15, também com o objetivo de evitar a proliferação e transmissão do vírus entre as crianças e adolescentes. 

Vale mencionar que atualmente, o Estado de São Paulo é o único da região Sudeste que atinge frequentemente os níveis máximos de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), normalmente diante da média de 80%, conforme dados apresentados pelas próprias Secretarias de Saúde.

Neste sentido, o procurador-geral de Justiça, Mário Luiz Sarrubbo, chegou a recomendar o fechamento integral de todos os setores.

No que se refere ao número de internações, este gira em torno de 47% a mais do que os dados apresentados na primeira onda da pandemia, ainda no ano de 2020. Ressaltando que nos últimos 20 dias consecutivos, o Estado tem batido o recorde de registros de pacientes internados nas UTIs da Covid-19.

“Se nós não conseguirmos implementar essas medidas e não conseguirmos aumentar o isolamento social, muita gente vai morrer.

Muita gente com plano de saúde não terá leito disponível em hospitais privados”, disse o coordenador executivo do Centro de Contingência do Covid-19, José Gabbardo.

É importante ressaltar que desde o último sábado, 6, todo o Estado de São Paulo foi classificado na fase vermelha do programa. A fase é a que promove mais restrições com base no Plano SP até o momento. 

A fase vermelha prevê somente o funcionamento dos setores da saúde, transporte, imprensa, estabelecimentos comerciais como padarias, mercados, farmácias, postos de combustíveis, bem como escolas e atividades religiosas.

No entanto, embora essas duas últimas tenham sido incluídas na lista de serviços essenciais através de Decretos estaduais, agora ficam suspensas perante as determinações do Plano SP

Novas medidas de isolamento em São Paulo

O Plano SP promove uma variedade de mudanças em diversos serviços que agora ficam proibidos. Veja mais detalhes a seguir: 

Atividades com restrição completa

  • Serviços de retirada (take-away) de todos os setores; 
  • Lojas de materiais de construção;
  • Celebrações religiosas coletivas;
  • Atividades esportivas coletivas.

Tele-trabalho obrigatório para atividades administrativas não essenciais

  • Órgãos públicos; 
  • Escritórios e qualquer atividade desde que o setor não seja essencial. 

Não autorizada a entrega de alimentos e produtos ao cliente no estabelecimento comercial

  • Permitido apenas serviços de drive-thru (entre 05h e 20h) e delivery 24h para restaurantes e outros estabelecimentos comerciais. 

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.