Novo auxílio emergencial vai pagar R$250 para ESTE grupo a partir de março

Pontos-chave
  • O governo vai pagar mais 3 parcelas do auxílio emergencial;
  • O valor será de R$250;
  • Não serão todos os brasileiros que poderão receber o auxílio.

Nesta segunda-feira (1), o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), informou que o valor pago no novo auxílio emergencial será de R$250 mensais e serão pagos em quatro meses para aqueles que necessitam da ajuda do governo.

Novo auxílio emergencial vai pagar R$250,00 para ESTE grupo a partir de março

Em uma entrevista concedida à Record TV, o deputado disse que a leitura da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que incluía o pagamento, deve ser feita nesta terça-feira (2) e a votação realizada no Senado vai ser realizada na quarta-feira (3).

“Previsão é de que seja em torno de R$ 250, a princípio por 4 meses, pagando-se agora março, abril, maio e junho”, disse Arthur.

A PEC é a principal proposta do governo para que seja destravado um novo auxílio emergencial e ao mesmo tempo, cortar os gastos públicos.

O texto estava sendo pautado desde quinta-feira (25), porém foi adiado. A proposta é extensa e possui pontos controversos como o fim do piso de gastos com saúde e educação. O texto ainda precisa passar pela Câmara.

Arthur ainda disse que o assunto foi um dos tratados em encontro com o presidente Jair Bolsonaro e alguns de seus ministros.

Novo auxílio emergencial vai pagar R$250,00 para ESTE grupo a partir de março

Vacinas e CPI da COVID-19

O parlamentar afirmou que o país pode ter 140 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus disponíveis entre os meses de  março, abril e maio, porém,ele não detalhou de onde viriam esses imunizantes.

Arthur afirmou que as autoridades estão trabalhando para que a população seja vacinada o mais rápido possível. “É a única saída que nós temos para garantir a saúde da população e amadurecimento da economia”, avaliou.

Além disso, ele explicou o motivo que o leva a ser contrário à instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre as ações do governo federal no combate a pandemia. 

Neste domingo (28), pelo segundo dia consecutivo, o país bateu um novo recorde e registrou a pior média de mortes pelo novo coronavírus em toda a pandemia, neste período de um ano.

“Todos temos que estar focados no aspecto construtivo. Depois que nós ultrapassarmos isso, que garantirmos vacinas para a população, vamos ter a oportunidade porque os fatos não se precluem de fazer essa ou aquela CPI para analisar, investigar ou punir eventuais erros. Mas se agora pararmos o Congresso com uma CPI para discutirmos quem está errando ou quem errou, não vamos conseguir concentrar esforços para que a gente tenha uma saída mais rápida possível, para que Brasil tenha sua população atendida com relação à pandemia, saúde, e economia com condições de se manter em pé, para que não entremos numa recessão”, argumentou.

Quem não vai receber as parcelas do novo auxílio emergencial?

Não receberam as novas parcelas do auxílio de R$250 aqueles que recebem:

O governo vai realizar o cruzamento de dados que inclui os dependentes daqueles que declaram imposto de renda, assim como aqueles que estão desempregados, que aguardavam algum benefício previdenciário e estão fora dessa nova rodada.

Quem vai receber o auxílio emergencial em 2021?

De acordo com os critérios usados no ano passado, o pagamento deve ser destinado para aqueles que:

  • Esteja desempregado ou exerça atividade na condição de:
  • Microempreendedores individuais (MEI);  
  • Contribuinte individual da Previdência Social; 
  • Trabalhador Informal.
  • Pertença à família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo, ou cuja renda familiar total seja de até 3 (três) salários mínimos.

Como funciona o pagamento do auxílio?

O auxílio emergencial é o programa que foi criado para atender os trabalhadores informais e beneficiários do programa Bolsa Família no período da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Inicialmente, seriam pagas apenas 3 parcelas de R$600, mas depois foi prorrogado por mais 2 parcelas e por último até o final do ano.

O programa atendeu até agosto cerca de 67,2 milhões de pessoas, pagando o valor de R$600 e R$1.200 para as mães de família. 

O valor do auxílio residual, que são as 4 parcelas de R$300 e R$600 para as mães de família.

A partir de março de 2021, o governo federal promete realizar mais 4 parcelas de R$250.

Para receber o auxílio é necessário ter acesso ao aplicativo Caixa Tem.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.