NOVO cálculo do INSS vai obrigar trabalhador a contribuir mais antes da aposentadoria

Os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) terão que trabalhar por mais dois meses para ter direito ao teto de aposentadoria. O aumento ocorreu devido ao acréscimo de 56 dias na longevidade da população. Dessa maneira, os benefícios serão reduzidos em 0,73% com o novo cálculo.

NOVO cálculo do INSS vai obrigar trabalhador a contribuir mais antes da aposentadoria
NOVO cálculo do INSS vai obrigar trabalhador a contribuir mais antes da aposentadoria (Imagem: Reprodução/Google)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, na quinta-feira (26), a Tábua da Mortalidade, na qual apresenta a expectativa de vida da população brasileira. Segundo o Instituto houve um aumento na longevidade, passando de 76,3 para 76,6.

Por esse motivo, os trabalhadores segurados pela Previdência Social terão que trabalhar por mais dois meses e realizar a contribuição para o INSS para ter direito ao teto da aposentadoria.

Segundo o consultor Newton Conde, quem realizar a solicitação da aposentadoria ainda este ano terá o cálculo realizado com a expectativa de vida anterior. Porém, quem deixar para fazer em fevereiro do próximo ano terá que contribuir mais um ou dois meses.

Teto da aposentadoria do INSS

Com o novo dado, o teto da aposentadoria sofrerá um reajuste com uma redução, em média, de 0,73% em duas situações:

  • Quem faltava menos de dois anos para se aposentar antes da Reforma da Previdência;
  • Quem já possuía os requisitos para o benefício antes da reforma, porém não atingiram os pontos necessários, ou seja, 86 para as mulheres e 96 para os homens.

Reforma da Previdência

Segundo o advogado João Badari, especialista em direito previdenciário do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, o novo cálculo, com base na longevidade, só afetará os segurados que se enquadram no pedágio de 50%, ou seja, os contribuintes que faltam apenas dois anos para a aposentadoria.

No pedágio de 50% é possível ter direito ao benefício pelo tempo de contribuição, porém, é necessário trabalhar o tempo que falta. Dessa maneira, quem falta dois anos para dar entrada na aposentadoria, teria que trabalhar três anos, ou seja, mais 50% do tempo de falta.

Com a nova expectativa de vida, além dos 50% do tempo que falta, este também terá que trabalhar por mais dois meses, caso queira receber todo o valor que tem direito. É importante lembrar que com a reforma essa modalidade não será mais válida.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.