GOLPES NO PIX: Saiba como EVITAR cair e evite transtornos

publicidade

O novo sistema de pagamentos do Banco Central, o Pix, será lançado em 16 de novembro. Com ele, será possível realizar pagamentos por meio de código QR. Porém, é preciso estar atento na hora de efetuar o pagamento. Para isso, separamos algumas dicas que podem te ajudar a não cair em golpes que envolvem o sistema. 

Descubra as diferenças entre TED, DOC e a nova solução de pagamentos PIX
Veja como EVITAR cair em golpes que usam o pagamento por PIX (Imagem: Reprodução/Google)
publicidade

Antes de tudo, é preciso conhecer os tipos de código QR que existem. Há possibilidade de usar o código estático que pode ser utilizado para diversos pagamentos. E o dinâmico para um único pagamento. 

Segundo o Banco Central, o código QR estático permite que o recebedor defina um valor fixo para um produto e também a inserção de um valor pelo pagador.

Já para o dinâmico, de acordo com o Banco Central, é possível incluir outros dados e informações no código, como a identificação do recebedor. A expectativa é de que este tipo de código seja mais usado em compras online, por e-commerces, ou cobranças mais formais.

Para não cair em golpes, com o Pix será possível apenas gerar um código QR e repassá-lo sem todas as informações pessoais. Com isso, os seus estão mais seguros. Basta que seja realizada uma leitura do código para que a transação seja feita. 

Como vai funcionar o Pix?

De acordo com o Banco Central, as transações poderão ser realizadas em qualquer horário do dia, todos os dias do ano. Com isso, a transferência de valores e o pagamento de contas e boletos vai dispensar o uso de cédulas e cartões. Tudo poderá ser feito por meio do dispositivo móvel.

Tudo vai funcionar assim: os usuários do Pix precisam ter uma conta digital em uma instituição financeira. Pois, o sistema será integrado aos aplicativos dos bancos. 

Cada cliente terá um cadastro com uma chave de acesso pessoal. Até o momento, as instituições financeiras estão realizando apenas o pré-cadastro de seus clientes. O cadastro começou a ser feito, de fato, no dia 5 de outubro. 

Os clientes vão poder registrar como chave de acesso CPF, o CNPJ, e-mail, número de celular ou até mesmo um código aleatório. 

As transações serão realizadas principalmente pelo uso de código QR. Para isso, é necessário que o usuário possua um dispositivo móvel com câmera para realizar a leitura do código.

AvatarLucas Santos
Lucas Santos é jornalista graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Possui experiência em assessoria de imprensa na Prefeitura Municipal de Cariacica e redação de notícias para o portal FDR. | Instagram @lucas.sanp | LinkedIn @lucassantospto