Desemprego tem aumento expressivo para pessoas negras comparado aos brancos

Os impactos da pandemia no mercado de trabalho fizeram com que a disparidade na taxa de desemprego entre brancos e negros aumentasse, atingindo o maior nível desde 2012. Segundo especialistas, o desemprego atingiu, principalmente, os setores em que há maior participação de negros.

Desemprego tem aumento expressivo para pessoas negras comparado aos brancos
Desemprego tem aumento expressivo para pessoas negras comparado aos brancos (Imagem: Reprodução/Google)

De acordo com especialistas os setores que mais tiveram aumento na taxa de desemprego foram o comércio e construção civil.

Esses dois setores possuem maior participação de servidores negros, por esse motivo, houve o aumento na diferença da taxa de desemprego entre a população branca e negra no Brasil.

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no segundo trimestre de 2020, a taxa de desemprego ficou em 13,3%, com a seguinte divisado por cor da pele: pretos (17,8%), pardos (15,4%) e brancos (10,4%).

Ainda, de acordo com pesquisa realizada pelo IBGE, o desemprego entre os negros foi o que mais subiu em comparação ao primeiro trimestre de 2020, sendo de 2,6 pontos percentuais.

Já a taxa para os pardos subiu 1,4 e entre os brancos 0,6, conforme os dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua.

Com esses resultados, a diferença entre a taxa de desemprego entre brancos e negros está em 71,2%, sendo a mais alta desde 2012 quando o IBGE começou a realizar a Pnad Contínua. No primeiro trimestre de 2012 essa taxa era de 45,2%.

O economista do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert), Mário Rogério Silva, afirma que “Os setores onde está tendo a maior quantidade de perda de vagas, maior aumento de desemprego, são setores onde majoritariamente estão os negros. São setores com os piores salários. O comércio é um setor que não paga bem, e onde a maioria são negros”.

Todos os setores foram impactados pela pandemia de Covid-19, porém há setores que sofreram mais e tiveram um maior índice de demissões. Veja a baixo os setores que tiveram maior perda de trabalhadores o segundo trimestre de 2020, de acordo com os dados do Instituto:

  • Comércio: menos 2,1 milhões (-12,3%);
  • Alojamento e alimentação: menos 1,3 milhão (-25,2%);
  • Serviços domésticos: menos 1,3 milhão (-21,1%);
  • Construção: menos 1,1 milhão (-16,6%).

A participação dos negros no setor da construção é de 50,2%, contra 37,4% de brancos, de acordo com dados do Ceert com base na Rais (Relação Anual de Informações Sociais) de 2018, do IBGE.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.