De acordo com a Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), o salário mínimo ideal para suprir as necessidades de uma família com quatro membros, sendo dois adultos e duas crianças, deveria ter sido de R$ 4.420,11 no mês de julho.

publicidade
Dieese divulga valor ideal para salário mínimo em julho e valor assusta
Dieese divulga valor ideal para salário mínimo em julho e valor assusta (Imagem: Google)
publicidade

Este valor calculado pelo Dieese é proporcional a 4,23 vezes o salário mínimo atual que é de R$1.045.

Este cálculo partiu do valor da cesta básica em Curitiba, no Paraná, a mais cara do Brasil, que de acordo com o Dieese custou cerca R$526,14 no mês passado. Aracaju, no Sergipe, teve a cesta básica mais barata do mês de julho, R$392,75.

Todos os meses o Dieese faz o cálculo do preço da cesta básica em 17 capitais do Brasil. Deste total, 13 cidades, incluindo São Paulo e Rio de Janeiro, registaram queda no preço da cesta básica em julho.

Sem aumento real em 2021

Na LDO remetida ao Congresso este ano, é previsto que o salário mínimo em 2021 seja corrigido apenas pela inflação, baseado nas projeções do INPC. Se isso se confirmar, não existirá um “ganho real” que significa que o poder de compra do trabalhador não vai mudar.

Esta já foi a realidade do salário definido para este ano, quando a equipe econômica reajustou o mínimo, com base somente na inflação de 2019.

Com esta prática, o governo em exercício alterou a política de aumentos reais (acima da inflação) que vinha sendo implementada nos últimos anos, proposta pela presidente Dilma Rousseff e aprovada pelo Congresso.

A politica de reajustes com base na inflação e na variação do PIB foi utilizado entre 2011 a 2019, porém, nem sempre o salário mínimo teve uma elevação maior que a inflação.

Nos anos de 2017 e 2018, foi conferido o reajuste apenas considerando a inflação, pois o PIB registrado em 2015 e 2016 retraiu. Com isso, para obedecer a politica de ganhos reais, somente a inflação foi usada como base para determinar o aumento.

Impacto nas contas públicas

Quando o governo federal autoriza um reajuste menor para o salário mínimo, acaba gastando menos também. Isto acontece, pois os benefícios previdenciários não podem ter valor inferior ao do salário mínimo.

Os cálculos do governo em 2020, apontam que para cada R$1 de aumento do salário mínimo é gerada uma despesa de cerca de R$355 milhões.

Sendo assim, um reajuste R$ 12,15 mais baixo para o salário mínimo em 2021 equivaleria uma queda de cerca de R$ 4,3 bilhões nas despesas criadas para o governo federal.

Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.