Salário mínimo 2021 tem queda na projeção de pagamentos; veja qual valor!

Nesta quarta-feira (15), a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia informou que reduziu para 2,09% a estimativa de inflação neste ano de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Com isso o salário mínimo 2021 deve sofrer queda também.

Salário mínimo 2021 tem queda na projeção de pagamentos; veja qual valor!
Salário mínimo 2021 tem queda na projeção de pagamentos; veja qual valor! (Foto: Google)

Caso essa redução se confirme e não mude o cálculo do salário mínimo, o reajuste para o piso de 2021 também deve ser menor do que o estimado antes pela equipe econômica do governo.

Se esta nova previsão para o INPC de 2,09% se confirmar, a correção elevará o salário mínimo para R$1.066,84 a partir do mês de janeiro.

O valor do aumento é R$12,15, sendo assim será menor do que os R$1.079 que eram estimado em abril deste ano.

Segundo informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o salário mínimo é referência para 49 milhões de trabalhadores no país.

O valor para o ano de 2021 vai sofrer novas alterações no decorrer do ano, tomando como base as projeções da inflação para este ano.

Na lei que foi enviada para o Congresso neste ano, está prevista a correção do salário mínimo apenas pela inflação, tendo base a estimativa do INPC. 

Caso isso aconteça, não terá “ganho real”, ou seja, não será dado o poder de compra de quem recebe salário mínimo permanecerá inalterado.

O formato já foi adotado neste ano, quando a área econômica concedeu um reajuste apenas com base na inflação do ano passado, de 2019.

Sendo assim, o governo mudou a política de aumentos reais que vinha sendo implementada nos últimos anos, que foi proposta pela presidente Dilma Rousseff e aprovada pelo Congresso.

Essa política de reajustes pela inflação e variação do PIB vigorou desde o ano de 2011 a 2019, mas o salário mínimo nunca teve um alta acima da inflação.

Nos anos anteriores, em 2017 e 2018 foi realizado um reajuste tendo como base apenas a inflação, pois o PIB dos anos anteriores teve retração. Por conta disso, para que seja cumprida a fórmula proposta, apenas a inflação foi utilizada como base do aumento.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.