Você gosta de chocolate? Produto começa a faltar nas prateleiras e ‘assusta’ consumidores

O chocolate, alimento queridinho de boa parte das pessoas, está começando a ficar em falta nos supermercados. Isto vem afetando o abastecimento de chocolates em barra, ao leite e de alguns derivados, segundo o Índice de Ruptura de maio da Neogrid, empresa especialista em soluções digitais para as cadeias de suprimento. Entenda o que está ocorrendo.

publicidade

Chocolate em falta?

Por conta dos altos preços cobrados nos supermercados, o estoque de chocolates está mais baixo pois os consumidores estão comprando quantidades menores. Como forma de  não ficar com produtos parados no estoque, os supermercados também estão comprando quantidades menores. 

Os produtos disponíveis são vendidos por preços mais elevados mas com volumes menores, disse ao UOL, Robson Munhoz, diretor de Customer Success da Neogrid.

Ainda de acordo com Robson, o consumidor está adquirindo menos produtos e dando preferência para promoção como forma de economizar, e isso mexe com toda a cadeia de abastecimento e o estoque dos mercados.

publicidade

Desabastecimento?

Mesmo com esta falta de chocolate nos supermercados, na visão de Munhoz não existe um risco de desabastecimento e esta redução na oferta está mais relacionada a queda nos estoques por parte dos mercados.

O leite e seus derivados estão começando a faltar nas prateleiras dos supermercados. Isto vem acontecendo por conta dos altos preços que chegam a cerca de R$10 em mercados de alto padrão.

Por que os preços vem crescendo?

Robson explicou que o crescimento dos preços está mais relacionado com o custo com frete, que encareceu por conta dos altos preços dos combustíveis e com a estiagem.

Como os clientes reagem?

Segundo Munhoz, como a renda do consumidor está comprometida, ele acaba comprando menos leite ou optando por marcas diferentes. Por conta disso, os mercados reduziram os estoques, e o cliente não encontra aquela marca que normalmente adquiria, 

O preço do chocolate cresceu 10,18% nos últimos 12 meses e 5,16% somente este ano, segundo o mais recente IPCA. Dr acordo com a pesquisa da Neogrid, esta é a maior escassez de chocolate nos mercados deste maio de 2020.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

“O chocolate subiu bastante de preço. É um produto do qual a pessoa não precisa para viver, mas é um item de premiação. Quando a inflação pega, e o dinheiro no bolso diminui, o consumidor deixa chocolates e snacks para depois”, disse Robson ao UOL.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.