Supermercado está caro? Confira alternativa que pode gerar boas economias

Os preços dos produtos nos supermercado estão cada vez mais altos e os consumidores estão tendo que buscar alternativas para gastar menos. Na comparação com os supermercados, hortifrutis e sacolões, a feira é o lugar mais em conta para comprar frutas, legumes e verduras.

No Rio de Janeiro, quem opta por comprar na feira consegue economizar até 22%. Já em São Paulo, a economia pode chegar a até 30%. Estes números fazem parte da pesquisa realizada pela Associação Proteste e os dados foram coletados em 30 locais em ambas  capitais, no mês de janeiro.

Foram pesquisados os seguintes alimentos: banana prata, laranja pera, limão taiti, maçã galã nacional, pêssego, uva thompson, alho, batata, berinjela, cebola, cenoura e tomate, alface crespa, brócolis e espinafre. 

No Rio de Janeiro, a feira está com preços médios menores para 9 dos 15 produtos pesquisados. Em São Paulo, as feiras praticavam 10 preços médios mais baixos para os 15 itens pesquisados. 

Segundo a pesquisa, um pé de alface, por exemplo, pode custar entre R$ 0,99 e R$ 7,49 no Rio de Janeiro, representando uma variação de 657%. O item que teve a menor variação entre os pesquisados no RJ foi o espinafre, encontrado de R$ 2,49 a R$ 3,99.

Já em São Paulo, a variação mais alta foi para o brócolis, item encontrado com preços entre R$ 2 e R$ 14,99, revelando uma variação de 650%. Já a variação mais baixa, foi de  92%, para a banana prata, encontrada por R$ 5,21 e 9,99. 

“Foi possível concluir que as feiras possibilitam maiores oportunidades de economia, apesar de nem sempre possuirem o menor preço médio”, afirmou a Proteste para o Valor Investe.

A Proteste ressaltou que os preços praticados nas feiras livres são dinâmicos e podem mudar durante o mesmo dia. Nas feiras também é mais fácil pedir um descontinho. “O consumidor pode aproveitar a hora da xepa, nem todos os produtos vendidos nessa hora são de baixa qualidade”, acrescentou a associação.

Cuidados 

Mesmo com estes preços mais baixos praticados nas feiras, a associação afirma que os consumidores correm mais risco de cair em golpes, uma vez que não existe uma padronização na medida dos produtos vendidos, e muitas vezes sem balança tem.

No caso dos supermercados, a Proteste recomenda que o consumidor compareça em dias específicos de promoção do hortifruti. Outra recomendação é evitar comprar nos primeiros dias do mês, pois é “quando a maioria das pessoas recebem salários, aposentadorias e pensões”.  

A associação orienta ainda que os consumidores deem preferência aos produtos da época, por custarem mais barato.

Geralmente, a venda de frutas e legumes nas feiras é feita por lote, dúzia, bacia, saco, pacote ou unidade. Desta forma, a estratégia usada para possibilitar a comparação foi a de considerar o peso médio dos produtos que não são vendidos a quilo.

Dicas para economizar no supermercado 

  • Saiba o quanto pode gastar

Antes de sair de casa, estabeleça o quanto pode gastar no mercado. Cada família deve adequar este gasto a sua renda, ou seja, não existe uma quantia ideal. Fazendo isso, você evita imprevistos.

  • Faça uma lista

Saber exatamente o que precisa comprar deixa sua ida ao mercado mais objetiva. Desta forma, você evita o “passeio” pelos corredores e aquela tentação em pegar itens que não fazem parte das duas necessidades.

  • Observe a diferença de preços

É sempre importante quando se quer economizar, fazer uma pesquisa de preço no supermercados próximos de sua casa. Os preços podem variar muito de local para local.

  • Vá ao supermercado alimentado

Pode parecer bobeira, porém, de acordo com pesquisas, os consumidores que vão ao supermercado com fome costumam comprar mais que o necessário.

  • Calculadora na mão

Caso esteja com o orçamento apertado, vale a pena já ir fazendo os cálculos durante as compras. Isso evita chegar no caixa e ter que tirar algum produto.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.