Tarifas de pedágios congeladas em SP? Confira nova discussão

Por meio da Secretaria de Logística e Transportes, o Governo de São Paulo, comunicou que não reajustará as tarifas de pedágios neste ano. O aumento nos preços estava previsto para acontecer na última sexta-feira (1º). A Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) considera entrar na Justiça.

publicidade
Tarifas de pedágios congeladas em SP? Confira nova discussão
Tarifas de pedágios congeladas em SP? Confira nova discussão (Imagem: Montagem/FDR)

Segundo o governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, “diante da alta desenfreada dos preços, principalmente dos combustíveis, é impensável onerar o bolso dos paulistas. Diante disso, ele declarou que não existirá reajuste de pedágios nas rodovias paulistas.

Ainda conforme o governo estadual, a Secretaria de Logística e Transporte (SLT) e a Artesp estão responsabilizadas de desenvolver uma nova política estadual para as rodovias concessionadas paulistas.

publicidade

Desse modo, existe o objetivo de procurar soluções que favoreçam as duas partes. Isso tanto as pessoas e setores que dependam do transporte pelas rodovias, quanto as concessionárias.

De forma prática, o não reajuste nas tarifas de pedágios resulta em menos receita para as concessionárias. Por conta disso, a ABCR demonstrou insatisfação. O governo de SP informou que visa encontrar soluções para alinhar a medida com essas empresas.

O secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, declara que o governo paulista “não descumpre contrato e vai dialogar com todos os setores envolvidos, inclusive as concessionárias e não onerar ainda mais o orçamento estadual”.

Pronunciamento da associação das concessionárias sobre não reajuste de tarifas de pedágio

A ABCR e as concessionárias de rodovias informaram ser contrárias à decisão tomada pelo governo paulista. A associação também não descarta ir à Justiça contra o não reajuste de tarifas de pedágios.

“O setor manifesta grave preocupação com a adoção da medida anunciada, em um momento crítico no qual as empresas ainda enfrentam os efeitos econômicos da Covid-19 e o aumento expressivo do preço de insumos”, comunica a ABCR.

A associação informa que essas companhias “têm de honrar compromissos importantes assumidos junto a financiadores e fornecedores, bem como junto à sociedade paulista e aos usuários”.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

A ABCR declara ser essencial que o Estado adote medidas efetivas para a compensação imediata dos contratos. Isso com a necessária urgência. Desse modo, seria possível “evitar desequilíbrio econômico-financeiro e riscos à sustentabilidade das concessões e à execução de obras e serviços”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.