Em busca de menores preços, brasileiros estão indo atrás de gasolina ‘pirata’ na fronteira

Diante do alto preço dos combustíveis no Brasil, houve aumento na procura de gasolina ‘pirata’ na tríplice fronteira, com Colômbia e Peru. Diariamente, saem milhares de litros de combustível clandestino em transportes precários. A informação foi levantada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Em busca de menores preços, brasileiros estão indo atrás de gasolina 'pirata' na fronteira
Em busca de menores preços, brasileiros estão indo atrás de gasolina ‘pirata’ na fronteira (Imagem: Montagem/FDR)

Após o transporte Da Colômbia e Peru, a gasolina ‘pirata’ é vendida livremente em cidades do Brasil, como Atalaia do Norte, Benjamin Constant e Tabatinga, no extremo oeste do Amazonas. O combustível clandestino é comercializado, de modo improvisado em garrafas de refrigerante, conhecidas como “cocão” na localidade.

O produto estrangeiro custa até R$ 3,39 mais barato do que a gasolina brasileira. A opção ‘pirata’ entra no Brasil sem qualquer controle de qualidade ou tributário.

Do lado brasileiro da fronteira, o abastecimento dos tanques é realizado com o auxílio de garrafas de refrigerante e um funil. O preço de dois litros de um “cocão peruano” é de R$ 10 a R$ 12. Já a opção colombiana custa de R$ 13 a R$ 15.

A variação do preço depende da distância entre o porto e o local de venda. Ainda existe diferença de valores segundo o volume de combustível na garrafa. O cocão que não é entregue totalmente cheio tem preço menor.

Aumento no preço da gasolina impulsiona procura por combustível ‘pirata’

Anteriormente, por conta da dificuldade de acesso a postos tradicionais, já era atrativo recorrer ao fornecimento. Agora, diante dos reajustes constantes nos valores cobrados nos postos, o mercado alternativo passa a ganhar impulso a mais.

Apenas neste ano, a Petrobras realizou quatro aumentos. O reajuste mais recente aconteceu na semana passada. Na última sexta-feira (17), a estatal anunciou uma elevação de 5,18% no valor da gasolina vendida às distribuidoras. O preço desse combustível subiu de R$ 3,86 para R$ 4,06 o litro.

Nos postos, o litro da gasolina chegou a ser vendido a R$ 8,990 na semana passada, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A pesquisa levou em conta o período de 12 a 18 de junho.

Entre esses dias, o preço médio do litro da gasolina nas bombas foi de R$ 7,232. Já o menor preço encontrado para esse combustível foi de R$ 8,490.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.