Ministros devem definir a fim da greve do INSS; veja o que muda no seu atendimento

A greve do INSS já passa de um mês e segue sem previsão de acabar. Durante este período, a demanda do Instituto Nacional do Seguro Social se acumula, enquanto os segurados seguem desamparados. 

Ministros devem definir a fim da greve do INSS; veja o que muda no seu atendimento
Ministros devem definir a fim da greve do INSS; veja o que muda no seu atendimento. (Imagem: FDR)

Por isso, a Câmara dos Deputados aprovou a convocação do ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, para que sejam apresentados esclarecimentos sobre a greve do INSS. A intenção deste encontro é que, juntos, seja possível debater alternativas e encontrar uma resposta capaz de cessar a paralisação iniciada oficialmente em 23 de março.

A convocação já foi devidamente aprovada pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados na última terça-feira, 10. A presença do ministro foi um pedido do deputado federal, Bira do Pindaré, que prevê  a prestação de esclarecimentos até o dia 31 de maio. 

Apesar do prazo final devidamente estabelecido e aprovado pela comissão, o próprio parlamentar reforçou a necessidade de antecipar a convocação tendo em vista a gravidade do cenário. Assim, espera-se que o ministro possa comparecer ao encontro no mais tardar, em 24 de maio.

Mesmo que a convocação tenha relação com a greve do INSS, o deputado esclareceu que o foco não consiste na pressão feita pelos servidores da autarquia. O propósito é compreender a razão pela qual o Governo Federal ainda não chegou a um acordo com os trabalhadores para acabar com a paralisação. 

“Nessa sessão foram ditos números que divergem (sobre a fila de espera para a perícia e para a concessão do benefício previdenciário), mas o que sabemos é que há brasileiros na fila do INSS que não conseguem ser atendidos pelo desmonte desse país”, disse o deputado.

Greve do INSS reivindica melhorias

A greve do INSS foi iniciado visando chamar a atenção do Governo Federal para as demandas da autarquia, melhorando a estrutura física e administrativa dos atendimentos. Os servidores do INSS também clamam por reajuste salarial, diante da alegação que a remuneração não condiz com tamanhas responsabilidades. 

Segundo os trabalhadores do instituto, a reposição salarial está acumulada há três anos. Uma outra alternativa vista como necessária na distribuição das demandas e que também é aclamada pelos servidores do INSS é a abertura de um novo concurso público para recompor o efetivo.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.