Compras online: queixas subiram 536% em dois anos

As compras online se tornaram o principal alvo de queixas do Procon do Estado de São Paulo (SP) em 2021. O crescimento registrado foi de 536% em relação a 2019, último ano de atividades antes da pandemia da Covid-19. 

Compras online: queixas subiram 536% em dois anos
Compras online: queixas subiram 536% em dois anos. (Imagem: Montagem/FDR)

Em 2021, o Procon-SP registrou 498.877 queixas acerca de compras online, contra 301.672 em 2020 e 78.419 em 2019. Os dados foram divulgados pelo órgão nesta segunda-feira, 11, que atribuíram à pandemia a responsabilidade pela mudança dos hábitos de consumo. 

Na oportunidade, o diretor-executivo do Procon-SP, Guilherme Farid, disse que este aumento nas queixas sobre compras online é bastante preocupante. “Um contexto em que os estabelecimentos comerciais tiveram que ser fechados do dia para a noite e não estavam preparados para fazer um atendimento de modo virtual”, alegou. 

Segundo ele, as principais queixas envolvendo compras online se referem a atrasos e até mesmo à não entrega do produto adquirido. Cobranças indevidas também estão no topo deste ranking, sem contar os vários relatos de vendas realizadas por sites falsos ou perfis falsos nas redes sociais. 

Diante de tantas reclamações, o Procon-SP criou o selo Empresa Verificada. A iniciativa tem o intuito de assegurar que o consumidor faça uma transação comercial tranquila sem que resulte em reclamações. Desta forma, a ferramenta tem o poder de certificar que a empresa realmente está cadastrada no sistema digital do órgão. 

Vale destacar que através desta plataforma o consumidor consegue registrar reclamações, denúncias e esclarecer dúvidas. Neste sentido, o Procon-SP recomenda que todas as compras online sejam realizadas em empresas cadastradas no sistema.

Isto é, aquelas que se disporem a fornecer os dados empresariais ao órgão de defesa, firmando a parceria através da assinatura do cadastro com o certificado digital. 

Aumento das compras online 

No ano passado, a adesão às compras online bateu um recorde de faturamento, somando mais de R$ 161 bilhões, quantia que representa um aumento de 26,9% em comparação a 2020. Neste meio, foi possível observar que o número de pedidos teve um aumento de 16,9%, com 353 milhões de entregas. 

Os dados foram apurados através de um levantamento feito pela Neotrust, empresa responsável pelo gerenciamento do e-commerce brasileiro. Desta forma, também foi possível identificar uma alta de 8,6% no valor do ticket médio em relação a 2020. A média registrada foi de R$ 455.

A líder do setor de inteligência da Neotrust, Paulina Dias, destacou que a tendência é que as compras online cresçam ainda mais, mesmo com a flexibilização das restrições de contenção à pandemia combinada à retomada gradativa do comércio físico. Segundo ela, em 2021, o faturamento total foi de R$ 46,4 bilhões contra R$ 38,7 bilhões em 2020. 

Principais categorias de consumo nas compras online

Com base na pesquisa da Neotrust, as categorias que lideraram as compras online em 2021 são: moda, beleza, perfumaria e saúde. O aumento registrado foi de 87% apenas no faturamento de venda de remédios pela internet. Celulares, eletrodomésticos e eletroeletrônicos não ficam atrás, pois também fazem parte dos segmentos que mais faturaram em 2021. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.