Comportamento do brasileiro com o cartão de crédito está diferente; saiba mais

Pontos-chave
  • Os brasileiros vêm usando mais a tecnologia de pagamento por aproximação;
  • A população gastou trilhões com cartões no ano passado;
  • A inadimplência no cartão deve voltar a crescer no país.

O brasileiro vem alterando o comportamento relacionado ao cartão de crédito. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), as pessoas vêm gastando mais por cartões. Os pagamentos por aproximação, compras pela internet e inadimplência também vêm aumentado.

Comportamento do brasileiro com o cartão de crédito está diferente; saiba mais
Comportamento do brasileiro com o cartão de crédito está diferente; saiba mais (Imagem: Montagem/FDR)

Gastos com cartões chegaram a R$ 2,65 trilhões em 2021

No ano passado, a quantia transacionada via cartões chegou a R$ 2,65 trilhões. Isso representa um aumento de 33,1%.

Por meio do cartão de crédito, houve a movimentação de R$ 1,6 trilhão no período — equivalente a uma elevação de 36,6%. No cartão de débito, o valor transacionado foi de R$ 916,3 bilhões, crescimento de 20,2%. Já no cartão pré-pago, o número atingiu R$ 117,1 bilhões, alta de R$ 158,5%.

Caso houvesse a inclusão da quantia do Auxílio Emergencial, que teve transação por cartão de débito —, o aumento total, em relação a 2020, teria sido de 30%. Em 2021, o programa social do governo teve valor de R$ 7,9 bilhões, ante R$ 52,6 bilhões no ano anterior.

Apenas no quarto trimestre do ano passado, os cartões movimentaram R$ 796,7 bilhões. Esse total equivale a uma subida de 30,7%.

No cartão de crédito, houve transação de R$ 490,5 bilhões, crescimento de 40,6%. No débito, foram R$ 262,6 bilhões, elevação de R$ 8,1%. No pré-pago, foram movimentados R$ 43,4 bilhões, crescimento de 141%.

Em 2021, os brasileiros realizaram 31,1 bilhões de transações com cartão. Isso representa um crescimento de 33,4%.

Desse total, 14,7 bilhões foram realizadas com cartão de crédito, um aumento de 34,5%. No débito, o número foi de 13,6 bilhões, uma alta de 18,8%. Já no pré-pago, foram 2,8 bilhões, uma elevação de 202,3%.

Uma a cada quatro transações com cartão de crédito é por aproximação

Em 2021, os pagamentos por aproximação, pela tecnologia NFT — em que o cliente aproxima o cartão da maquininha —, chegaram a R$ 198,9 bilhões. Este valor representa um aumento de 384,6%. A cada quatro transações com cartão de crédito, uma é realizada por aproximação.

Por meio dessa tecnologia no ano passado, no crédito, os valores transacionados totalizaram R$ 111,1 bilhões, equivalente a uma alta de 489,1%. No débito, o número chegou a R$ 58,1 bilhões, elevação de 198%. Já no pré-pago, o valor foi de R$ 29,7 bilhões, aumento de 1.002%.

Na perspectiva do presidente da Abecs, Pedro Coutinho, em 2022, a modalidade também apresentará crescimento significativo. Neste ano, a associação espera que metade das transações presenciais ocorram por meio dessa tecnologia.

Compras pela internet aumentaram 30% em 2021

No ano passado, foi observado um crescimento nas compras via internet — por smartphone, tablet ou computador. Os brasileiros movimentaram R$ 569,7 bilhões no período. Isso equivale a um aumento de 30,8%.

No cartão de crédito, as transações online chegaram a R$ 550,1 bilhões, elevação de 41,7%. No débito, o valor movimentado foi de R$ 13,5 bilhões, aumento de 69,3%. No pré-pago, a quantia foi de R$ 6,2 bilhões, subida de 80%.

As pessoas têm realizado mais compras pela internet
As pessoas têm realizado mais compras pela internet (Imagem: Montagem/FDR)

Inadimplência no cartão teve aumento entre brasileiros

De acordo com a Abecs, a inadimplência no cartão deve voltar a crescer — após chegar aos menores patamares no meio do ano passado. Apesar disso, a elevação não deve fazer com que a inadimplência atinja os altos níveis já observados anteriormente.

O presidente da associação declara que a inadimplência já aumentou, mas não no mesmo ritmo que caiu. A Abecs acredita que ela terá um crescimento.

Atualmente, Coutinho declara que a inadimplência está próxima de 5%. Apesar da estimativa de alta, o presidente não acredita que chegará nos 8% registrados em 2020. O executivo declara que a indústria, hoje, possui boa capacidade de concessão de crédito.

No ano passado, conforme a associação, a inadimplência do cartão de crédito teve o menor nível de todo a série histórica do Banco Central — de 10 anos —, abaixo de 4%. O motivo para isso, contudo, tem relação com a crise econômica proporcionada pela pandemia de coronavírus.

Em 2021, a inadimplência média no cartão de crédito ficou em 4,3%. Já em 2011, o número tinha atingido 8,4%.

Apesar dessa crise, a Abecs declara que o sistema financeiro conseguiu atuar com baixos níveis de inadimplência — sem afetar o ritmo de inclusão e utilização dos cartões pelos brasileiros.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.