Lula quer ‘abrasileirar’ preço dos combustíveis; entenda o que isso significa na prática

Lula faz novas promessas para baratear o valor dos combustíveis. Nessa quinta-feira (17), o ex-presidente informou que, se eleito a chefe de estado em 2023, irá trabalhar para “abrasileirar” o valor da gasolina. Durante entrevista à rádio Progresso, explicou os detalhes de planejamento da sua gestão. Entenda.

Há semanas Lula vem falando sobre o alto valor aplicado na comercialização dos combustíveis. Durante suas entrevistas, o candidato vem criticando severamente a gestão de Jair Bolsonaro que dolarizou as tarifas da gasolina e demais insumos derivados do petróleo.

O que significa “abrasileirar” o combustível?

A afirmação de Lula tem como objetivo dizer que não irá mais taxar o valor dos combustíveis com as variações do dólar. Ele ainda não explicou como será sua política de comercialização, mas já garantiu que trará um melhor custo benefício para a população.

“Sei que o mercado fica nervoso quando eu falo, mas vamos abrasileirar o preço da gasolina. O preço vai ser brasileiro, porque investimento é feito em real”, afirmou.

“O custo do barril do pré-sal equivale ao da Arábia Saudita. Como o Brasil é autossuficiente, não precisa seguir o preço internacional. Hoje, 432 empresas importam gasolina dos Estados Unidos em dólar. E quem paga mais caro? O povo, o caminhoneiro, o preço no custo dos alimentos”, completou o ex-presidente.

Lula desafia o governo Bolsonaro

Durante toda a sua entrevista, o petista fez críticas ao atual presidente, Jair Bolsonaro. De acordo com ele, a atual política de comercialização da gasolina tem como finalidade garantir lucro apenas aos grupos aliados ao executivo.

“Se o Brasil tivesse que importar petróleo, tudo bem que a gente está importando a preço internacional. O que esses malandros fizeram? Esses malandros estão destruindo a Petrobras, fatia por fatia. Na hora que eles privatizaram a BR [Distribuidora], apareceram nesse país 432 empresas que estão importando gasolina dos Estados Unidos, importando a preço do dólar. E aí o preço é internacional. Aí quem paga é o nosso companheiro com o carro, que tem um caminhão, são os caminheiros brasileiros, são os pobres que têm um carro”, disse Lula na entrevista desta quinta.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.