Eleições 2022: Principais propostas de Lula e Bolsonaro sobre economia

Pontos-chave
  • Eleições 2022: Lula e Bolsonaro devem vivenciar maior oposição política da história;
  • Bolsonaro passa a reformular projetos aprovados no governo do PT;
  • Lula fala sobre dolarização da gasolina e defende o fim da fome

Eleições presidenciais em 2022 devem ter foco na fome e desemprego. Nas últimas semanas, a imprensa nacional vem acompanhando a fala dos possíveis candidatos a chefe da república. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está entre os principais nomes na disputa contra Jair Bolsonaro. Abaixo, saiba quais são suas promessas para a economia.

Eleições 2022: Principais propostas de Lula e Bolsonaro sobre economia (Imagem: FDR)
Eleições 2022: Principais propostas de Lula e Bolsonaro sobre economia (Imagem: FDR)

No que diz respeito a política nacional, o ano será agitado tendo em vista a realização das eleições presidenciais. Isso afeta diretamente na economia, uma vez em que os candidatos devem anunciar seus planos de governo para garantir o apoio da sociedade civil.

Bolsonaro atua reformando os projetos do PT

Sendo o atual chefe da república, Jair Messias Bolsonaro já vem anunciando uma série de projetos que iram impactar a vida da população vulnerável. Recentemente consolidou o Auxílio Brasil e o Vale Gás, ambos destinados há grupos subdesenvolvidos que até então não faziam parte de seu eleitorado.

Bolsonaro anunciou ainda o aumento no salário dos professores da rede básica de ensino, aprovado nesta semana e está renegociando as dívidas do Fies. Ele informou também que atuará, nos próximos meses, para garantir a reforma tributária e recuperação da economia afetada pelo novo coronavírus.

É válido ressaltar, no entanto, que vem enfrentando uma séria dificuldade para encerrar seu mandato, uma vez em que nos últimos anos o país voltou ao mapa da fome, ampliou o desemprego e está vivenciando uma das maiores inflações de sua história.

No nosso governo, ele tem feito um trabalho que é reconhecido por todos. É um tocador de obras, é um empreendedor e sabe realmente dos problemas do Brasil todo”, afirmou o chefe do Executivo em evento realizado em Brasília.

Recentemente, Bolsonaro questionou as promessas eleitorais de Lula, afirmando que é preciso encarar a realidade:

“Não dá pra admitir, e tem gente que ainda é simpático a ele, porque ele fala ‘Vou passar a gasolina pra 3 reais’, ‘Vou aumentar o salário mínimo‘. É promessa. Quero ver encarar uma realidade, pegar o governo que eu peguei, três anos com dois de pandemia (…) o cara fala ‘não roubei’, mas fala isso em torno de quê? Pra ter apoio, poder”, disse o candidato.

Lula promete redução no valor da gasolina e fim da fome

Sendo até o momento o principal opositor de Bolsonaro, Luiz Inácio Lula da Silva já se pronunciou sobre algumas medidas que deverá adotar. Nos últimos dias, o petista falou sobre a dolarização no preço da gasolina, dizendo que irá trabalhar para que o combustível volte a média de venda de R$ 3.

“Nós não vamos manter o preço dolarizado. Eu acho que os acionistas de Nova York, os acionistas do Brasil, têm direito de receber dividendos quando a Petrobras der lucro, mas é importante que a gente saiba que a Petrobras tem que cuidar do povo brasileiro”, disse Lula em uma entrevista à Rede de Rádios do Paraná (RDR).

“Eu não posso enriquecer um acionista americano e empobrecer a dona de casa que vai comprar um quilo de feijão e paga mais caro por causa do preço da gasolina”, completou.

No que diz respeito a fome e o desemprego, em uma série de entrevistas Lula afirma que deseja retomar a efetividade dos projetos sociais implementados em seu governo. Ele enfatiza a necessidade de priorizar a distribuição de renda mínima para os mais pobres de modo que o país possa sair do mapa da fome.

 “Falei da causa que me motiva na política. Fazer com que o Brasil volte a ser de todos os brasileiros, que ninguém no nosso País passe fome. Sempre trabalhei e continuarei trabalhando para isso, sendo candidato ou não”, disse Lula em seu perfil no Twitter.

Previsão das eleições: o que dizem as pesquisas?

De acordo com o último levantamento pelo PoderData, anunciado nessa segunda-feira (07), as intenções de voto para presidente são mais otimistas para Lula.

Atualmente, o petista teria conquistado 20% do eleitorado de Bolsonaro. Já Sérgio Moro, também candidato, deve herdar 10% dos votos do atual chefe de estado. Bolsonaro, teria 7% dos seus apoiadores votando em nulo ou branco.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.