Quem foi incluso no lote residual do auxílio emergencial? Pagamento em breve

Governo federal retoma pagamento do auxílio emergencial. Nessa semana, o ministério da cidadania informou que estará liberando os valores retroativos do projeto. No entanto, é preciso ficar atento, pois nem todos os beneficiários serão contemplados. Acompanhe as regras de concessão abaixo.

Quem foi incluso no lote residual do auxílio emergencial? Pagamento em breve (IMAGEM: FDR)
Quem foi incluso no lote residual do auxílio emergencial? Pagamento em breve (IMAGEM: FDR)

Enquanto paga o Auxílio Brasil, o ministério da cidadania ainda gerencia a folha orçamentária do auxílio emergencial. Os segurados que tiveram o abono negado entre os meses de setembro e outubro e entraram com um pedido de contestação poderão ser contemplados.

Quais as regras para o pagamento retroativo do auxílio emergencial?

De modo geral, o cidadão precisa ter entrado na plataforma do governo federal e dado entrada no pedido de contestação. Seu pedido deve ter sido analisado pelo poder público e se aprovado é que haverá a concessão do retroativo.

Ou seja, só tem direito ao pagamento quem foi excluído do auxílio na sétima parcela e contestou o corte. Caso a Dataprev tenha feito a nova análise e concordado que o titular se enquadra nas regras de concessão o pagamento fica então liberado.

Para saber se faz parte da lista de beneficiados com esse pagamento extra, o cidadão pode consultar a sua situação no site do Ministério da Cidadania. Basta preencher seus dados pessoais.

Valores do retroativo do auxílio emergencial

É válido ressaltar que o benefício se mantém com a mesma quantia determinada por grupos, elas são:

  • R$ 150,00 para os beneficiários que moram sozinhos;
  • R$ 250,00 para beneficiários membro de um grupo familiar;
  • R$ 375,00 para mulheres chefes de família monoparental.

Regras de concessão do auxílio emergencial em 2021

  • A renda por pessoa da família não pode passar de até meio salário mínimo (R$ 550)
  • A renda total do grupo familiar deve ser de até três salários mínimos (R$ 3.300)
  • Só será permitida o pagamento de uma cota por família
  • Ter mais de 18 anos
  • Não ter emprego formal
  • Não ter tido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019 ou rendimentos isentos acima de R$ 40 mil naquele ano
  • Não ser dono de bens de valor superior a R$ 300 mil no fim de 2019
  • Estão excluídos os residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares
  • Ficam de fora também as pessoas que receberam qualquer tipo de benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista ou de transferência de renda do governo em 2020, com exceção do Bolsa Família e abono salarial.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.